top of page
  • Foto do escritorRedação

Veja como foi o encerramento do 50º Fenata, e conheça os premiados da noite

A solenidade aconteceu no Palco A do Cine-Teatro Ópera, com revelação dos premiados das categorias, homenagem aos realizadores do Festival e espetáculo convidado

UEPG encerra 50º Fenata em festa, com premiação e peça convidada. Foto: Divulgação


Festa dentro e fora do palco. A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) encerrou, na noite deste domingo (13), a Mostra Nacional de Teatro – 50º Festival Nacional de Teatro (Fenata). A solenidade aconteceu no Palco A do Cine-Teatro Ópera, com revelação dos premiados das categorias, homenagem aos realizadores do Festival e espetáculo convidado.


Os vencedores de cada categoria foram:

Melhor Ator: Fábio Freitas, por Cão Chupando Manga;

Melhor Ator Coadjuvante: Lucas dos Santos, pelo conjunto de personagens em O Pequeno Príncipe;

Melhor Atriz: Catharine Moreira, pelo Pequeno Príncipe em O Pequeno Príncipe;

Melhor Atriz Coadjuvante: Beta Cunha, por Durvalina em Vereda da Salvação;

Melhor Cenografia: Cia Talagadá, por Monstro e Cia;

Melhor Maquiagem: Matheus Gonçalves, por Caravela da Ilusão;

Melhor Figurino: Chris Galvan, por Leões, Vodka e um Sapato 23;

Melhor Iluminação: Guinga Ensa, por Cão Chupando Manga;

Melhor Sonoplastia: Hedra Rockenback, por PaPeLê – uma aventura de papel;

Melhor Texto Original: Fábio Freitas, por Cão Chupando Manga;

Melhor Direção: Fabiano Amigucci e Fagner Rodrigues, por Vereda da Salvação;

Melhor Espetáculo Infantil: PaPeLê – uma aventura de papel – da Téspis Cia de Teatro;

Melhor Espetáculo Adulto Pelo Júri Popular: Leões, Vodka e um Sapato 23 – Cia de 2;

Melhor Espetáculo Adulto: Vereda da Salvação – Cia Beradeiro.

Vereda da Salvação, da Cia Beradeiro, vencedora da categoria Melhor Espetáculo Adulto. Foto: Divulgação/UEPG

O anúncio do resultado foi feito com arte. O Grupo de Teatro de Ponta Grossa entrou no palco com a relação dos vencedores. Após a intervenção artística, os papéis acabaram se rasgando. Tudo parecia perdido quando o diretor de Assuntos Culturais da UEPG, Nelson Silva Junior, apareceu com um envelope extra do resultado. “O Fenata 50ª edição nos trouxe novamente a emoção de um grande Festival”, destaca. Nelson agradece às equipes envolvidas na organização do evento. “Foi um Festival marcado pelo profissionalismo de atrizes, atores, técnicos, de produções que nos deixarão imagens e falas marcadas para sempre, escrevendo as novas páginas da história do Fenata.


A 50ª edição também marca o retorno do Grupo de Teatro Universitário (GTU), o qual deu forma ao Festival nos primeiros anos de sua formação. Uma personagem especial não poderia faltar nos agradecimentos. “Ela estava afastada e hoje retornou. Sem ela o teatro não existe: a plateia. Muito obrigado às pessoas que acompanharam o Festival. Viva o Teatro e Viva o Fenata”, finaliza Nelson.

Leões, Vodka e um Sapato 23, da Cia de 2, foi a peça vencedora do Prêmio Júri Popular. Foto: Divulgação/UEPG

Para o reitor da UEPG, professor Miguel Sanches Neto, o Fenata de número 50 retomou mais do que o formato presencial dos espetáculos: reativou o grupo de teatro universitário e, entre tantas outras inovações, ofereceu formação aos artistas, com oficina ministrada por Fátima Ortiz e Juliana Spricigo. “Tivemos um Festival com peças de altíssimo nível, avaliadas por um júri incrível, que contou com a participação brilhante de Guta Stresser, um talento paranaense”, explica.


O momento da premiação, do reconhecimento dos artistas e de sua arte, são o ponto alto da história que será contada para gerações futuras sobre a quinquagésima edição do Fenata, segundo Miguel. “Os espetáculos vencedores, e também todos os que participaram das mostras paralelas à competição, de grupos locais e nacionais; organização e voluntários; patrocinadores e apoiadores; todos merecem a nossa reverência”.


“Desde o êxtase da abertura, na terça-feira, passamos por um processo de encantamento”, enfatiza emocionada a pró-reitora de Extensão e Assuntos Culturais da UEPG, Maria Salete Marcon Vaz. “Tivemos nossos sentidos arrebatados, a cada espetáculo, colecionando memórias que ficarão para sempre nos nossos corações”. Maria Salete cita os abraços entre anônimos e famosos; o som dos adultos caindo no riso; o silêncio dos estudantes de uma escola rural, ao assistir, pela primeira vez, uma peça teatral; a sincronia das mãos, dos gestos e das palavras ditas – e interpretadas – em libras e português. “Pelo que vimos de inovador e por tudo aquilo que é tradicional, e que se repete a cada Festival, podemos dizer pela quinquagésima vez: este Fenata foi um sucesso!“, ressalta.

Melhor Espetáculo Infantil foi PaPeLê – uma aventura de papel, da Téspis Cia de Teatro. Foto: Divulgação/UEPG

O sucesso declarado pela pró-reitora se definiu em números – foram 85 apresentações, com 26 grupos teatrais de todo o Brasil e 58 escolas e instituições inscritas para receber o Festival. O Fenata 51 já começa na próxima semana, segundo Maria. “Trabalhamos o ano todo para que tenhamos uma semana perfeita como esta que acabamos de vivenciar. Em 2023, aniversário dos 200 anos de Ponta Grossa, teremos um Festival ainda mais surpreendente”, completa.


Espetáculo e homenagem

O encerramento do 50º Fenata recebe ‘O Grande Circo Místico’, peça convidada, para fechar o último dia do Festival. O espetáculo é inspirado no poema de mesmo nome de Jorge de Lima, do livro A Túnica Inconsútil (1938). A peça foi composta por Chico Buarque e Edu Lobo especialmente para o Balé Teatro Guaíra, em 1982. A estreia ocorreu no Guairão, em março de 1983, e foi enorme sucesso no Brasil inteiro. A produção e realização do espetáculo ainda tem a parceria do Projeto Broadway – a primeira escola de teatro musical no Paraná.

Melhor Ator do 50º Fenata foi Fábio Freitas, por Cão Chupando Manga. Foto: Divulgação/UEPG

Antes de revelar os vencedores, o Fenata reverenciou algumas pessoas fundamentais para que o Festival acontecesse. Para a entrega do troféu de homenagem, a solenidade chamou ao palco Daniel Frances, pela história construída ao longo das 50 edições do Fenata e por sua contribuição ao acervo; e Francisco Acildo de Souza, o Chiquinho, pelos anos de trabalho nos bastidores do Festival. O júri também concedeu um Prêmio Especial ao Grupo Nômade, pela pesquisa realizada para a construção do espetáculo ‘A Caravana dos Pássaros Errantes’, apresentada na categoria Teatro de Rua, na Praça Barão do Rio Branco, na última quarta-feira (09).


O Festival ainda recebeu homenagem de um de seus patrocinadores. A GMAD – Grupo Madcompen entregou uma placa que parabeniza a equipe organizadora e agradece o trabalho, “a todos que ajudaram a democratizar a arte e permitiram que Ponta Grossa vivesse teatro, respirasse arte e transpirasse cultura em todo os âmbitos”, diz a placa entregue pelo presidente da empresa, Álvaro Goes. “Alguns colaboradores receberam ingressos para participar do Fenata e o feedback foi muito positivo. Parabéns ao Fenata, que muitos empresários possam participar, pois todo esse investimento retorna para a nossa cidade. Que venham mais 50 anos!”, destaca.

Melhor Atriz foi Catharine Moreira, pelo Pequeno Príncipe em O Pequeno Príncipe. Foto: Divulgação/UEPG

Apoio

A Mostra de Teatro – 50º Festival Nacional de Teatro (Fenata) é realizada pelo Ministério do Turismo, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Fundação de Apoio à UEPG (FAUEPG), com patrocínio da GMAD, Deragro – empresa do Grupo Lavoro, Belgotex do Brasil, Tratornew e Shopping Palladium. Conta ainda com o incentivo da Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setur) e Conselho Municipal de Turismo (COMTUR). O Fenata tem o apoio da Secretaria Municipal de Cultura, Teatro Marista Pio XII, Fecomércio – Sesc Estação Saudade e Museu Campos Gerais; e promoção da RPC.


Da Assessoria

Comments


bottom of page