• Redação

Alunos da UEPG protestam contra atos racistas na universidade

Reportagem divulgou mensagens de cunho racista, nazista e homofóbico em grupo de estudantes da Instituição; Universidade afastou sete acadêmicos de forma cautelar

Lideranças acadêmicas falaram aos manifestantes sobre os atos ocorridos na Universidade. Foto: Divulgação/Organização Estudantil


Estudantes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) realizam, nesta sexta-feira (23), manifestações contra atos racistas e nazistas na comunidade acadêmica, bem como na sociedade ponta-grossense. O ato ocorre em razão do caso, divulgado na imprensa, envolvendo alunos do curso de Agronomia da Instituição de Ensino Superior (IES). Cartazes com mensagens como “Antirracismo” e “Com nazista não existe diálogo! Expulsão é o mínimo que merecem!” foram utilizadas no manifesto.


O caso veio a público na última terça-feira (20), em reportagem publicada pelo Jornal Plural. Nas informações divulgadas, o grupo de mensagens ‘Calourada agronomia’ compartilha ‘figurinhas’ com teor racista e nazista, além de textos de cunho homofóbico. Denúncia anônima foi apresentada, em 22 de agosto, à Ouvidoria da UEPG e também ao Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR) – as investigações ocorrem em sigilo. Diante de toda a situação, na última quinta-feira (22), sete acadêmicos da graduação em Agronomia foram afastados, cautelarmente, da universidade ponta-grossense. Após as apurações, e se for confirmada a situação, os estudantes poderão ser expulsos da UEPG.


Manifestação

No ato, que acontece no Campus Uvaranas, há a participação de cursos da área de humanas, exatas, saúde e agrárias, além de estudantes do Colégio Agrícola Estadual Augusto Ribas. Segundo lideranças do movimento, "queremos que a comunidade entenda que esse ciclo de ódio não pode se perpetuar e ser normalizado. Queremos mostrar o que deveria ser óbvio, o quão nocivo, repulsivo e abominável é o racismo, LGBTfobia e referências de cunho nazista", explicam. Além disso, "mostrar nossa indignação, repúdio e desprezo a estes atos que por alguns são defendidos como brincadeiras. Para nós, estes atos são tão conscientes quanto criminosos", completam.


Por fim, as lideranças reforçam que os alunos envolvidos no caso "devem ser responsabilizados e expulsos", finalizam. Vários acadêmicos estão participando do ato, com gritos de protesto e também a utilização de cartazes. “Antirracismo”, “Vidas nazistas não importam”, “Expulsão já!”, “Fogo nos racistas”, “Não normalize atos criminosos” e “Nazistas e racistas não passarão!” são algumas das mensagens. Outro protesto está agendado para a próxima segunda-feira (26), a partir das 17h, no Campus Central da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Fotos: Divulgação/Organização Estudantil


Por aRede