• Redação

UEPG está entre as melhores universidades do mundo

Entre as 48 universidades brasileiras, a UEPG ficou entre as 36 com melhor desempenho

UEPG está entre as melhores universidades do mundo. Foto: Fábio Ansolin/UEPG


A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) está entre as melhores instituições de ensino superior do mundo, segundo o ranking de impacto de 2022 da revista internacional Times Higher Education. A classificação avalia as universidades conforme os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).


Com nota geral de 51,8, a UEPG obteve as suas melhores avaliações nos objetivos “Saúde e bem-estar” (66,9), “Educação de qualidade” (53,2) e “Redução das desigualdades” (33,6). O ranking calcula a nota final a partir da soma das três principais notas com a avaliação do ODS “Parceria para os objetivos” (49,5).


Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são 17 metas globais adotadas pela Assembleia Geral da ONU. Os objetivos servem como diretrizes para erradicação da pobreza, proteger o planeta e garantir paz e prosperidade até 2030. Para participar da classificação geral, as universidades devem escolher no mínimo três ODS para serem avaliadas.


“Esse é o primeiro ano em que participamos da classificação geral. Nos anos anteriores, participamos apenas com os ODS ‘Saúde e bem-estar’ e ‘Educação de qualidade’”, explica a diretora de Avaliação Institucional, Raquel Abdallah da Rocha Oliveira. Em ambos ODS, a Universidade melhorou entre as classificações realizadas em 2021 e 2022.


A avaliação é referente a dados de 2020. “Foi um ano marcado pelo início da pandemia da Covid-19 e, mesmo com tantas dificuldades enfrentadas, a UEPG subiu no ranking, alcançando melhores posições”, pensa a chefe da Divisão de Dados Estatísticos Josecler Kapp Lepinski.

Dentre as universidades estaduais do Paraná que participaram da avaliação (UEPG, UEL, UEM e Unioeste), a UEPG dividiu a primeira posição em “Saúde e bem-estar” com a UEL e a Unioeste; foi a segunda colocada em “Educação de qualidade”; ficou na terceira posição em “Redução das desigualdades” junto com a Unioeste; e dividiu a 2ª posição em “Parceria para os objetivos” com a Unioeste.


Ao todo, 1.406 universidades de 106 países participaram da avaliação. No ranking global, a UEPG ficou entre as posições 801 a 1000. Já entre as 48 universidades brasileiras, a UEPG ficou entre as 36 com melhor desempenho.


Da Assessoria