top of page
  • Foto do escritorculturacaopg

Semana de Comunicação traz Bruno Paes Manso a Ponta Grossa

Palestra nesta quarta (22) debate crime e religião na pauta da investigação jornalística

A 32ª Secom oferta palestras até a próxima sexta-feira (24) com profissionais e pesquisadores do jornalismo. Foto: Luiz da Luz/Lente Quente

O curso de Jornalismo da UEPG recebe nesta quarta-feira (22), para palestra na 32ª Semana de Estudos em Comunicação, o premiado jornalista Bruno Paes Manso. O debate, a partir das 9h, no Centro de Cultura, em Ponta Grossa, marca o lançamento no Paraná do livro “A Fé e o Fuzil: Crime e Religião no Brasil do Século XXI” (editora Todavia). O evento é gratuito e aberto à comunidade, com direito a certificado de participação.


O pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) investiga o crescimento das igrejas evangélicas nas últimas décadas. Com base em depoimentos de ex-criminosos que tiveram a vida transformada pela religião, a reportagem desconstrói estigmas associados às novas denominações evangélicas. Para o autor, o crescimento desses grupos responde a anseios profundos de uma população exposta a todo tipo de violência. Com o livro anterior, “A República das Milícias” (Todavia), Paes Manso conquistou o Prêmio Jabuti de 2021 pelo retrato de nova dimensão da criminalidade no Brasil contemporâneo.


A 32ª Secom tem por tema “Reportar o tempo presente: política, comunicação e democracia” e oferta palestras até a próxima sexta-feira (24) com profissionais e pesquisadores do jornalismo. O evento ocorre de forma integrada à 17ª Semana de Integração e Resistência, com programação cultural e oficinas dirigidas a estudantes de Jornalismo no campus central da UEPG. Desde segunda-feira, passaram pelo palco da Rádio Resistência, ao meio-dia, no pátio da universidade, os artistas Cássio Murilo e a banda Orango Thunder.


Intervozes

Na manhã de terça-feira (21), a pesquisadora Olívia Bandeira, do coletivo Intervozes, apresentou diagnóstico da concentração de propriedade de mídia no Brasil e fez comparações com a América Latina. “O Brasil é o único país em que nove dos 50 veículos de maior audiência são de propriedade de lideranças religiosas cristãs”, aponta. Ela destacou, ainda, recente ganho de ação na justiça pela proibição da publicidade de armas, fruto de monitoramentos e da atividade política do grupo. Para Bandeira, a Internet, que originalmente seria um contraponto aos monopólios de mídia, passou a adotar outra arquitetura. “Hoje as plataformas estão funcionando como uma forma de censura privada”, diz.


Programação

A 32ª Semana de Comunicação continua na quinta-feira (23), com fala do pesquisador Marcos Paulo, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, sobre “As formas jornalísticas no horizonte da desinformação". A palestra de encerramento, na sexta-feira (24), será com o professor e jornalista Luãn Chagas (24), da Universidade Federal do Mato Grosso e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. O debate tem por tema “Jornalismo declaratório, desinformação e naturalização dos pseudofatos”.


Realização

As Semanas da Comunicação e da Resistência ocorrem por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Culturais da UEPG, do Departamento de Jornalismo, do Mestrado em Jornalismo e do Centro Acadêmico João do Rio. O evento tem apoio da Capes, da Fundação Araucária e do Setor de Ciências Sociais Aplicadas, além de Gráfica UEPG, da Secretaria Municipal de Cultura e da empresa Foto Carlos.

コメント


bottom of page