• Redação

Mais de 4 mil candidatos fizeram Vestibular da UEPG

Realizado neste domingo (20), vestibular levou os 4.301 pessoas a disputarem as 763 vagas, distribuídas em 39 cursos. Foram mais de 6.325 inscritos para as provas, o que significa que o número de ausentes foi de 2.024

Prova aconteceu durante todo o domingo, pela manhã e durante a tarde, em 27 locais distribuídos em 13 cidades do Paraná Foto: Luciane Navarro

O céu nublado e o tempo frio não desmotivaram os candidatos que realizaram o Vestibular de Outono, realizado neste domingo (20). Dentre olhares atentos e mãos segurando firme o material necessário para a prova, o sonho de ser aluno da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) levou os 4301 pessoas a disputarem as 763 vagas, distribuídas em 39 cursos de graduação. A prova aconteceu durante todo o dia – manhã e tarde, em 27 locais distribuídos em 13 cidades do Paraná.


Vitória Hass sabe bem o que é fazer parte da família UEPG. Aluna formada pelo Colégio Agrícola Augusto Ribas (Caar), ela tenta pela segunda vez uma vaga no curso de Direito. “Faltaram só 22 pontos para eu passar”, relembra. A pouca preparação do ano passado foi compensada com muito estudo para o Vestibular de Outono, segundo ela. “Esse ano eu me preparei mais. Tem aquele nervosismo, que acho que é normal, mas agora sei que vou tirar aqueles 22 pontos para mais”. O Colégio Agrícola prepara os alunos para as provas da UEPG, desde o primeiro ano do ensino médio. “Por ser um colégio público, via um ótimo ensino. Até minhas amigas de outras escolas falavam que o Caar era muito melhor. Por esse e outros motivos, pretendo continuar em casa, a UEPG”.


Diferentemente de Vitória, não será a primeira vez que Patrícia Cristina Souza tenta ser acadêmica do ensino superior. A candidata tenta a terceira graduação; dessa vez na UEPG. “Eu já saí do ensino médio faz 10 anos e agora estou tentando cursar Pedagogia, porque sempre tive muita afinidade e interesse pela área”, descreve. O fato da UEPG ter retornado de maneira 100% presencial neste ano deixou Patrícia mais segura para enfrentar a prova. “Deu um alívio ver que retornou ao presencial, senti mais segurança para estudar, porque sei que poderei frequentar as aulas de maneira presencial e seguindo os protocolos de biossegurança”, destaca.


O dia do Vestibular envolve, além de candidatos e fiscais de prova, as famílias dos vestibulandos. Samira Vitória Vieira estava acompanhada do avô, antes de entrar para a sala. O processo seletivo da candidata acontece desde 2021, já que Samira escolheu concorrer a uma vaga de Licenciatura em Artes Visuais. O Teste de Habilidades Específicas (THE), voltado para os cursos de Música e Artes Visuais, aconteceu em dezembro do ano passado. “Como escolhi Artes e me dediquei para o THE, agora foquei em sair bem na redação. Estou um pouco nervosa, mas acredito que vai dar tudo certo”. O avô, Francisco, endossa a fala da neta. “Tem que ter confiança e acreditar que ela vai conseguir passar, estamos acreditando nisso”.


Nesta edição, o curso mais concorrido é Medicina, com 168,4 candidatos por vaga; seguido de Engenharia de Software, com 16,4 candidatos/vaga; Direito Noturno (13,8); Enfermagem (13,1); e Odontologia (12,7). A filha de Janete Ortis de Gois tenta, pela segunda vez, a vaga no curso de Enfermagem. “Me sinto muito orgulhosa de ver a minha filha indo fazer a prova e tentando uma vaga na Universidade”. Se conseguir a vaga, será a primeira vez que alguém da família de Janete consegue ser aluna em uma Universidade Pública. Antes de entrar na sala, o abraço da mãe tentou passar calma e serenidade para a afilha, como conta Janete. “Fico muito emocionada em ver ela tentando vaga em um lugar que nunca tive a oportunidade estudar. Ver minha filha chegar até aqui me faz sentir realizada”, adiciona.

Os que ficam em pé

O Vestibular de Outono contou com a colaboração de 881 pessoas, entre coordenadores, fiscais de sala, fiscais de corredor, operadores de detector de metal, serviço de limpeza e copa, serviço médico e motoristas. O trabalho da equipe acontece por, no mínimo, 10 horas seguidas. Dentro da sala, os fiscais ficam em pé, com olhos atentos e prontos para auxiliar os candidatos. Marcelo Hartmann trabalha há quatro anos como fiscal de sala. Para ele, os alunos agora estão mais animados para as provas. “Neste tempo de pandemia, a gente reparava um certo medo e insegurança maior entre os candidatos. Hoje, depois de todo mundo vacinado, vejo que há um ânimo no olhar de todos”, conta.


Teresinha Chuertniek é servidora há mais 30 anos na UEPG e, durante todo esse tempo, colaborou nas edições dos Vestibulares. “Como sou idosa, eu fiquei ausente da realização das provas no último ano. Agora eu retorno como fiscal de sala e está sendo uma experiência muito diferente”. Teresinha atua na Universidade Aberta à Terceira Idade e relata a importância de trabalhar em uma etapa importante para a graduação da instituição. “Chega a ser emocionante receber os candidatos e ver o nervosismo deles, a disciplina em fazer as coisas, focados no que realmente vieram fazer aqui. Me sinto muito feliz em fazer parte deste momento”.

Resultado será divulgado em abril

O coordenador de Processos de Seleção, Edson Luís Marchinski, informa que a taxa de abstenção deste edição foi de 32%. “Dos 6325 candidatos inscritos, 2024 não compareceram”, explica. O resultado do Vestibular de Outono está previsto para ser divulgado em 25 de abril. “As informações sobre a matrícula dos aprovados no Vestibular de Outono, bem como do Vestibular de Primavera e PSS 3 também serão publicadas até 5 de abril no site da UEPG“, completa.


Da Assessoria