• Redação

“Música para Todos” retoma aulas em sua terceira edição

Criado em 2016, o “Música para Todos” oferece aulas de música instrumental a crianças e adolescentes em medida protetiva, em medida socioeducativa ou em situação de risco social

Durante as aulas, os estudantes ganham uma apostila com noções básicas sobre a música. Foto: Arquivo CA

O “Música para Todos”, projeto que leva o conhecimento sobre a arte da música para crianças e adolescentes atendidos pela Vara da Infância e Juventude de Ponta Grossa, retoma as aulas em sua terceira edição. Criado em 2016, o “Música para Todos” oferece aulas de música instrumental a crianças e adolescentes em medida protetiva, em medida socioeducativa ou em situação de risco social.


Aprovado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, o projeto é realizado pela Batukarte, dirigida pelo professor e músico Ricardo Corrêa, em parceria com a Vara da Infância e Juventude de Ponta Grossa. A coordenação do projeto é da ABC Projetos Culturais e a iniciativa conta com o patrocínio de Banco Paccar, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Caminhos do Paraná, Costa Teixeira, Belgotex, Antônio César Bochenek e Giorgia Enrietti Bin Bochenek.


Para Ricardo Corrêa, músico e coordenador do Música para Todos, o projeto é uma forma de contribuir para o desenvolvimento da sociedade. “A arte ensina e ajuda a desenvolver valores humanos. É uma forma que encontramos de colaborar com a nossa sociedade. As crianças e os jovens têm a oportunidade de conhecer algo novo e aprender a tocar instrumentos, o que ajuda a desenvolver habilidades musicais e culturais”, afirma.


Durante as aulas, os estudantes ganham uma apostila com noções básicas sobre a música. Entre os instrumentos usados nas aulas estão: violão, teclado, guitarra, contrabaixo, flauta, percussão e bateria. As aulas são ministradas por dois professores, Ricardo Corrêa e Juliano Amaral.


O projeto atende turmas com crianças e adolescentes das entidades: Instituto João XXIII, Associação Promoção à Menina (APAM), Centro de Socioeducação Regional de Ponta Grossa (Cense) e Ministério Melhor Viver. Segundo Corrêa, o projeto visa ajudar no processo de inclusão social. “A gente procura ensinar a cada um dos jovens que eles podem e devem ir atrás de seus sonhos”, ressalta.


Parceira do projeto desde o começo, a Vara da Infância vem acompanhando o desenvolvimento dos alunos que participam do projeto ao longo dos anos. “O projeto ajuda a esses jovens a ver na música uma possibilidade de aprendizado e incentivo à cultura e até a transformar a música em um instrumento de trabalho”, afirma a juíza de direito titular da Vara da Infância e Juventude de Ponta Grossa, Noeli Salete Tavares Reback.

Foto: Divulgação

Da Assessoria