top of page
  • Foto do escritorRedação

Livro de fotos retrata diversidade cultural em Ponta Grossa

Projeto "Lente Quente" realiza lançamento na próxima quarta, 7 de junho, às 18h

A coletânea de fotos “Fotojornalismo e Cultura (2010-2019)” reúne imagens produzidas por estudantes extensionistas na primeira década de atividades do projeto Lente Quente. Foto: Lucas Cabral

O Curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e o selo Lambrequim convidam para o lançamento do mais novo livro do projeto Lente Quente, em evento no Sesc Estação Saudade, na quarta-feira, dia 7 de junho, a partir das 18h.


A coletânea de fotos “Fotojornalismo e Cultura (2010-2019)” reúne imagens produzidas por estudantes extensionistas na primeira década de atividades do grupo no acompanhamento informativo do circuito cultural local. A obra resulta de pesquisa em acervo digital e soma-se às comemorações dos 200 anos do município.


A produção tem apoio do Departamento de Jornalismo (Dejor), do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJor) e da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Culturais (Proex), por meio de bolsas Pibis e Pibex com recursos da Fundação Araucária.


As 132 páginas apresentam, em formato pocket, 150 fotos que registram eventos, espaços, iniciativas e acontecimentos que marcaram o período pelo olhar do fotojornalismo especializado em cultura.


"A coletânea funciona como síntese da diversidade cultural em Ponta Grossa. As fotos vão do campinho de futebol de várzea aos campeonatos de skate, da passagem de artistas renomados pelos palcos da cidade aos festivais locais. Tem espetáculo, mas também o cotidiano, um pouco de religião e também do patrimônio histórico”, explica o organizador da publicação, Rafael Schoenherr. O professor coordena a iniciativa de extensão, ao lado dos professores supervisores Marcelo Bronosky e Manoel Moabis.


Estima-se que mais de 80 estudantes tenham passado pelo Lente Quente, sendo que vários deles hoje atuam profissionalmente na fotografia. “Este livro convida a um percurso pelo acervo fotográfico do projeto, por meio de uma seleção produzida coletivamente pela equipe extensionista, em que se observa a pluralidade de perspectivas jornalísticas em imagens. São fotos que falam (gritam, em alguns casos), revelando temas latentes e realidades nem sempre visíveis”, pontua a professora Karina Janz Woitowicz, no texto de apresentação da obra.


O livro resulta de curadoria coletiva realizada por estudantes e docentes durante a pandemia. O projeto gráfico é da designer e fotógrafa Andressa Marcondes. Uma parte dos 200 exemplares destina-se a bibliotecas e circulação gratuita. A comercialização dos livros será feita pelo selo Lambrequim, no valor de R$ 50 - sendo que uma parcela dos recursos deve ser revertida em equipamento fotográfico e na viabilização de exposições.


O Lente Quente foi criado em maio de 2010 como coletivo de fotojornalismo dentro do curso de Jornalismo da UEPG e experiência de inserção no campo cultural. A cobertura fotográfica pode ser acessada nas redes do projeto (Instagram). Entre as produções especiais estão o livro e documentário “Massacre 29 de abril” (Editora Estúdio Texto, 2015), além do vídeo “Eu também sou patrimônio dessa terra” e do curta “Ocupar e Resistir” (disponíveis no YouTube).


Da Assessoria

Comments


bottom of page