top of page
  • Foto do escritorRedação

Centenário da Comarca de PG,‘A história quase que perdida na História’

Descobrindo a História: 'Centenário da Comarca de Ponta Grossa 1880-1980' por Peter Rudi Lapezak

Obra do historiador e bacharel em Direito Peter Rudi Lapezak lança o livro nesta terça-feira (10). Foto: Divulgação

Entre inúmeros presentes recebidos pela cidade, dentro das comemorações dos 200 anos da criação da freguesia de Ponta Grossa, foi a publicação de uma história inédita das mais significativas, agora registrada pelo livro Centenário da Comarca de Ponta Grossa 1880-1980, de autoria do historiador e bacharel em Direito Peter Rudi Lapezak. Com repercussão que já começa a ganhar espaços pela Imprensa de Ponta Grossa e região, a reportagem anuncia, em primeira mão, o lançamento da obra de Lapezak em Castro, na próxima terça-feira (10/10, às 19h), na Casa da Cultura Emilia Erichsen, numa promoção da Prefeitura Municipal/Secretaria da Cultura, Indústria, Comércio e Turismo, com apoio da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil -Subseção Castro, na pessoa da advogada Léa Maria Cardoso Villela.


“Não sou historiador, mas apenas um ávido leitor de estudos históricos, e, portanto, não imaginava prefaciar um livro sobre a história local; nessa condição, fiquei encantado pelo convite para comentar uma obra que, desde a primeira página, avaliei como inovadora”. Com essas palavras de apreciação inicial em seu prefácio, Luiz Fernando Cheres, advogado, bacharel em Administração, licenciado em Letras, especialista em Ensino de Língua Portuguesa e Literatura e membro fundador da Academia de Letras dos Campos Gerais (Cadeira 11), acrescentou em seguida que esse livro de Peter Lapezak aborda “aspectos pouco conhecidos de Ponta Grossa: a trajetória do Direito, o nascimento e o caminhar da Comarca, assim como as biografias dos pioneiros que atuaram no Poder Judiciário”.


Apaixonado pela História

Mais adiante, Luiz Fernando Cheres faz questão de afirmar que Peter se apresenta como um apaixonado pela História, além de licenciado em História, simplesmente, e bacharel em Direito. “Creio que foi do casamento desses dois amores, a História e o Direito, que aos poucos nasceram as páginas do livro”, diz ele. “Contudo, o escrito jamais viria ao mundo, se não houvesse no autor também um infinito amor por Ponta Grossa, pois, com certeza, o trabalho foi longo e árduo, além da documentação disponível ser precária, por vezes contraditória; no meio do caminho, a humanidade foi abalada pela pandemia, que indubitavelmente dificultou o acesso a muitas fontes”.


Conquanto, “se há relativa abundância de trabalhos que investigam aspectos políticos, econômicos e sociais da história de Ponta Grossa, a história da Comarca não foi prestigiada com a mesma ênfase, quase como que se o Poder Judiciário tivesse pouca relevância na vida princesina”, argumenta Cheres. Ainda segundo ele, essa lacuna se vê, agora, preenchida por um livro que, ao longo de quase 500 páginas, relata o nascimento e o caminhar da Comarca de Ponta Grossa, com destaque para inúmeras biografias, a maioria delas com riqueza de detalhes, contando os trajetos profissionais e pessoais dos mais destacados personagens do mundo jurídico da cidade, no período pesquisado, no entanto, sem esquecer de contextualizar os dilemas dessas pessoas, destacando os principais eventos históricos que marcaram suas épocas.


Do ângulo que se observa, enfim, trata-se de uma publicação de leitura praticamente obrigatória para historiadores, estudantes de História e ainda para os curiosos pela história local; será também extremamente útil para os operadores do Direito, que podem encontrar enfim as informações necessárias sobre o caminhar da Comarca, com seus dilemas, erros e acertos, no transcorrer de longos 100 anos. E será uma leitura enriquecedora para qualquer ponta-grossense que queira conhecer algo a mais sobre a história de sua cidade.

Foto: Divulgação

Da Assessoria

bottom of page