top of page
  • Foto do escritorRedação

Alcione chega a Curitiba com turnê especial de 50 anos de música

Cantora se apresenta neste sábado, 17 de junho, no palco do Teatro Positivo. Últimos ingressos à venda a partir de R$ 200

Alcione chega a Curitiba com turnê especial de 50 anos de música. Foto: Divulgação

Ao completar 50 anos de uma vitoriosa trajetória, Alcione preparou uma série de eventos comemorativos com o propósito, exclusivo, de celebrar esse antológico meio século de dedicação e amor à música. Além das turnês pelo Brasil e exterior, que são um revival da carreira, a artista gravou um audiovisual, com seus principais hits, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Esse show tão especial chega a Curitiba, neste sábado, 17 de junho, às 21h15, no palco do Teatro Positivo. Os últimos ingressos estão à venda a partir de R$ 205, pelo Disk Ingressos. O show na capital tem produção e realização da RW7 Production & Entertainment.


O show traz um desfile de hits inesquecíveis, que ajudaram na formatação da carreira da artista. Com uma trajetória consagrada, a cantora e instrumentista trafega entre os mais diversificados gêneros musicais esbanjando talento, suingue e, principalmente, emoção.


São inúmeras as celebrações pelo cinquentenário. Comemorações que já começaram antes, com o lançamento do longa-metragem "O Samba é Primo do Jazz", um resumo biográfico que vem sendo apresentado em festivais de cinema e conta a história da intérprete maranhense que saiu de sua pequena São Luís para conquistar o mundo com o vozeirão inconfundível e uma personalidade marcante. Alcione fez escola, e todos os dias surgem novas "Alcioninhas" por aí. É a prova cabal de que a cantora nordestina já se perpetuou e escreveu, há tempos, algumas das melhores páginas do nosso cancioneiro.


Além das incontáveis apresentações pelo Brasil, a turnê de Alcione também já foi aplaudida em cidades da Europa e África, como Londres, Lisboa, Porto e Angola.


Outro "mimo” pelo cinquentenário é o espetáculo "Marrom, o Musical", que conta (e canta) a trajetória da intérprete. Idealizada por Jô Santana, escrita e dirigida por Miguel Falabella, a peça já passou por palcos de SP, Rio, São Luís, Belém e João Pessoa, sempre celebrada pelas plateias e crítica especializada. A título de informação, vale reiterar que uma criteriosa seleção de novos talentos entre cantores, bailarinos e atores foi realizada. Seleção que começou, como não poderia deixar de ser, pelos artistas maranhenses.


Também anunciada pelo governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, a maior comenda do mérito cultural do Estado, nomeada por "Medalha Alcione", que se tornará um evento anual, foi entregue a personalidades do samba, pela primeira vez, no último dia 21 de novembro (data que marca o aniversário da Marrom).


Muitas outras manifestações de apreço e honrarias importantíssimas foram chegando, multiplicando-se e, em 2023, a cantora será a grande homenageada do "Prêmio da Música Brasileira", a maior premiação da canção nacional, além de ter sido anunciada pela Estação Primeira de Mangueira como o Enredo Oficial da Escola para o Carnaval de 2024!


Para resumir essa trajetória tão longeva e de incrível sucesso, vale reafirmar que os domínios da Marrom extrapolam fronteiras. A intérprete já se apresentou pelos cinco continentes, em mais de 36 países, nos principais festivais e casas de espetáculos internacionais. Portugal, Espanha, Suíça, Alemanha, Israel, Japão, Angola, França, Moçambique, Inglaterra, Itália, Argentina, Chile, Uruguai, e até mesmo na antiga União Soviética. Isso antes mesmo da Perestroika, da abertura, por países que são hoje a Lituânia, Estônia, Ucrânia e Rússia.

Alcione chega a Curitiba com turnê especial de 50 anos de música. Foto: Divulgação

Alcione gravou compactos (o primeiro em 1972), LPS, DVDS e 42 Álbuns, que lhe concederam 26 Discos de Ouro, 07 de Platina, sendo dois deles de Platina Duplo, 03 DVDS de Ouro e um de Platina. Em sua galeria de troféus, com mais de 350 peças (prêmios e honrarias que vão desde os títulos de Cidadã Benemérita até as mais altas comendas do país como a “Ordem do Rio Branco” e a do “Mérito Timbiras” (esta última concedida pelo Estado do Maranhão), além de medalhas relevantes como a “Tiradentes” e “Pedro Ernesto” (concedidas pela ALERJ). Premiações relativas à MPB abarrotam suas estantes como os 21 troféus arrebatados nas 29 edições do “Prêmio da Música Brasileira”. Outros títulos foram os de “Madrinha do Corpo de Bombeiros do RJ” e de “Melhor Cantora Popular”, concedido pela Academia Brasileira de Letras.


A Marrom também é detentora de inúmeras premiações internacionais, como o “Grammy Latino” na categoria “Melhor álbum de samba”, “O Pensador de Marfim” (concedido pelo Governo de Angola), “Diplome de Médaille D´or” (da Societé Acadêmique de Arts, Sciences et Lettres de Paris), “Extraordinary Contribuition to Brazilian Culture and Positive Image” (concedida no 9th Annual Brazilian International Press Award. Flórida), “Personalidade Negra das Artes” (Conselho Internacional de Mulheres) e “A Voz da América” (ONU).


Conectada com a atualidade, como não poderia deixar de ser, a artista angariou milhares de seguidores em suas redes: 1.400.000 no Instagram, 869.000 no Facebook, e 197.500 no Twitter.


Criada ouvindo os grandes cantores da época, nacionais e internacionais, sempre transitou pelos variados gêneros e estilos musicais: samba, jazz, bolero, reggae, canção romântica. E, apesar de ser tratada como sambista, adora gravar e interpretar o que lhe convém e emociona. A galeria de hits é imensurável: “Não Deixe o Samba Morrer” (uma espécie de hino para os sambistas), “O Surdo”, “Sufoco”, “Nem Morta”, “Você Me Vira a Cabeça”, “A Loba”, “Meu Ébano”, “Mulher Ideal”, “Garoto Maroto”, “Estranha Loucura”, dentre outras dezenas de sucessos.


Alcione, que durante a pandemia lançou um álbum de inéditas chamado “Tijolo por tijolo”, está radiante com tantas homenagens. "São flores em vida, jamais imaginei receber tamanho carinho. E vindo de tantas instituições, pessoas tão diferentes e por todos os cantos do planeta".


Serviço

Evento: Alcione em Curitiba

Data: 17 de junho de 2023 (sábado)

Local: Teatro Positivo (Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)

Horário: 21h15

Ingressos: os ingressos variam de R$ 205 a R$ 470, de acordo com o setor e modalidade escolhidos

Vendas: Disk Ingressos (Ventura Shopping - de segunda a sexta, das 11h às 22h, aos sábados, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h, Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22h, e aos domingos, das 9 às 18h), na bilheteria do Teatro Positivo

**Entrega em domicílio com taxa de entrega

Classificação: Livre

Realização: RW7 Production & Entertainment


Da Assessoria

Comments


bottom of page