• Redação

UEPG recebe acervo de obras do ex-pracinha Alfredo Klas

Mais de 390 exemplares de obras do acervo pessoal de Klas, estarão disponíveis para estudantes, pesquisadores e amantes da leitura

A doação foi feita pela família, através da filha, Celia Regina Klas Blanski, e da neta, Carla Regina Blanksi Rodrigues. Foto: Júlio César Prado

A Biblioteca Central Faris Michaele (Bicen), o Centro de Documentação e Pesquisa em História (CDPH) e o Museu Campos Gerais (MCG), da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), receberam partes do acervo pessoal de Alfredo Bertoldo Klas, combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na 2ª Guerra Mundial e professor da UEPG. A doação foi feita pela família, através da filha, Celia Regina Klas Blanski, e da neta, Carla Regina Blanksi Rodrigues.


Alfredo Bertoldo Klas nasceu em 30 de setembro de 1915, em Palmeira/PR. Graduado pela Faculdade Estadual de Direito do Paraná em 1938, ele concluiu o curso de Preparações de Oficiais em Curitiba em 1941. Em 1944, Klas foi enviado para o fronte italiano da 2ª Guerra Mundial como subcomandante da 1ª Companhia do 11º Regimento de Infantaria da Força Expedicionária Brasileira (FEB), onde ficou até 2 de maio de 1945. Klas retornou à Palmeira, onde trabalhou como advogado, em indústrias, foi gerente de uma das fábricas da sua família, vereador e prefeito.


Após ser transferido para Ponta Grossa, Klas se desligou do exército em 1946. Em Ponta Grossa, foi violinista e presidente da Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, lecionou na Faculdade Estadual de Farmácia e Bioquímica, uma das instituições precursoras da UEPG, no curso de História da UEPG, e foi um dos fundadores e diretor do Museu Campos Gerais. Klas faleceu em 12 de maio de 2013, aos 97 anos.


Bicen

A Bicen recebeu 397 exemplares de obras literárias, selecionadas do acervo da biblioteca particular de Klas. As obras selecionadas pelas servidoras Maria Luzia dos Santos e Aline Nigelski incluem clássicos da literatura portuguesa e brasileira, com coleções completas. “O Alfredo Klas era um amante de livros, e todo o material está muito bem preservado. A maioria dos livros estão encadernados, há algumas primeiras edições e muitas das obras têm dedicatórias, algumas dos autores. Esse material será muito útil para os cursos de literatura”, destaca Santos.


Também foram doadas 35 publicações que apresentam características raras. “Vários livros estão em outras línguas, uma é manuscrita e temos uma primeira edição de um dos livros de Faris Michaele com uma dedicatória dele especialmente para o Alfredo Klas. As obras estão muito ligadas com a história local”, entende Nigelski, uma das responsáveis pela seção de obras raras da Bicen. “Agora, todos os livros precisam passar por triagem e catalogação, para conhecermos o acervo em detalhe”, soma. A família também doou telas pintadas por Klas para a Bicen.


“O acervo nos enriquece. O Alfredo Bertoldo Klas foi uma pessoa muito importante para a região e o seu acervo é uma ótima adição para a nossa biblioteca”, considera a diretora da Bicen, Eunice Silva de Novais.


CDPH

O Centro de Documentação e Pesquisa em História (CDPH) escolheu obras ligadas à região dos Campos Gerais. “Um dos focos do CDPH é a história local e regional e ainda existia uma quantidade considerável de livros sobre Ponta Grossa e de toda a área de abrangência da UEPG, como Castro, Palmeira e Tibagi”, detalha a coordenadora do CDPH, Elizabeth Johansen. As obras abordam temas como vocabulários, genealogia, mitos, entre outros aspectos locais e regionais.


“Estamos interligando a produção e atividade intelectual de um dos nossos ex-professores com o nosso acervo”, continua Johansen. Apesar de iniciar sua carreira letiva como professor na Faculdade Estadual de Farmácia e Bioquímica, Klas passou a fazer parte do departamento de História da UEPG, após a unificação das faculdades. “Esses documentos também estão conectados com as pesquisas dos nossos professores e estudantes das graduações e das pós-graduações”, adiciona.


Johansen leciona a disciplina de Arquivos 2 no bacharelado em História e utilizou o acervo para instruir seus alunos sobre o trâmite de aquisição de um conjunto documental. “O processo teve uma função pedagógica também, pois os alunos me auxiliaram com a confecção do termo de doação, os estudantes que fizeram o inventário inicial e já iniciaram o processo de higienização”, conta Johansen.


Museu Campos Gerais

Ao longo da vida, o professor Klas, que foi diretor do Museu Campos Gerais, constituiu um importante acervo bibliográfico e documental, conforme o diretor do MCG, Niltonci Chaves. “Considerando o investimento que o MCG tem feito nos últimos anos, no sentido de qualificar seus acervos documentais, selecionamos muitos documentos originais e manuscritos do professor Klas, os quais entrarão em processo de digitalização nos próximos meses”, ressalta.


O objetivo é disponibilizar a documentação no repositório Memórias Digitais, para que possa servir a pesquisadores de diferentes áreas. “Além disso, também trouxemos alguns objetos que pertenceram ao professor João Becker e Silva, referência no campo educacional paranaense no século passado, que faziam parte do acervo do professor Klas por laços familiares”, completa Chaves.


Da Assessoria