• Redação

UEPG promove acolhida aos alunos internacionais

A acolhida não se resumiu aos estudantes que ingressaram agora na UEPG, mas a todos os alunos internacionais que fazem parte da Universidade

ERI e PRAE promovem evento de acolhida aos alunos internacionais. Foto: Cristina Gresele


O Escritório de Relações Internacionais (ERI) , em parceria com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE), realizou na última quarta-feira (27) uma acolhida aos estudantes internacionais da UEPG. O momento, realizado pela manhã na Biblioteca Faris Michaele, em Uvaranas, contou com a presença do reitor, professor Miguel Sanches Neto, além de representantes do ERI, Prae, Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e da Biblioteca.


Com o intuito de conhecer e estreitar laços com os alunos internacionais, a acolhida não se resumiu aos estudantes que ingressaram agora na UEPG, mas a todos os alunos internacionais que fazem parte da Universidade. “É importante que os alunos se sintam acolhidos no espaço onde eles estão. Isso determina o sucesso e a permanência deles no curso, se sentirem bem recebidos, bem acolhidos, ter lugares de referência para buscar ajuda, pra conversar, buscar orientação, e o ERI e a Prae juntos querem ser juntos esse espaço de referência e também lugares que os alunos possam se lembrar depois de sua estada na Universidade”, afirma a a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Ione Jovino.


O bolsista do ERI, Claudio Fernandes Baranhuke Junior, que atua com mobilidade estudantil internacional, enfatiza a posição da pró-reitora: “Não tem como pensarmos em mobilidade estudantil internacional e não trazer a questão da acolhida aos acadêmicos, pois estamos lidando com pessoas, vidas, narrativas e emoções diversas que não podem ser desconsideradas no processo educacional, visto que todo aluno é um ser múltiplo e toda essa complexidade precisa ser acolhida”.


A diretora do ERI, professora Sulany Silveira dos Santos, destaca que a atividade busca ser uma oportunidade de troca de experiências e conhecimento: “Nosso objetivo principal com as atividades de hj foi dar início à integração desses alunos e alunas na comunidade acadêmica da UEPG, propiciar a eles oportunidades para intercâmbio de experiências culturalmente ricas e que contribuam para o crescimento social de seus países e do Brasil”.


A diretora do ERI também explica que o evento, que teve sua primeira edição nesta semana, é um projeto de longa data do Escritório: “A iniciativa surgiu antes da pandemia, estávamos com o evento marcado para o mês de abril de 2020, mas só conseguimos realizar agora, com o retorno às aulas presenciais”. A parceria entre o Escritório de Relações Internacionais e a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis também é bastante forte e frutífera. “ERI e Prae começaram a atuar em parceria para atender necessidades específicas dos estudantes que nos procuram. Temos auxiliado com informações sobre os serviços oferecidos pela UEPG, documentação, moradia, acesso ao restaurante universitário, etc. Também buscamos fortemente a integração na comunidade acadêmica”, salienta a diretora do ERI.


No encontro, que contou com a participação de 17 alunos internacionais, houve roda de conversa e todos puderam se apresentar, conhecer uns aos outros e também autoridades e órgãos importantes da UEPG que são envolvidos diretamente com questões afetas aos alunos internacionais. “Muitos dos alunos viram-se pela primeira vez nessa manhã, e puderam compartilhar suas vivências enquanto acadêmicos estrangeiros na UEPG, suas expectativas e impressões do território brasileiro. A avaliação do evento foi extremamente positiva, tanto em relação ao maior contato entre alunos quanto entre os setores institucionais envolvidos. Este foi o primeiro, de muitos encontros que irão acontecer”, relata Danielle Carneiro Dykstra, técnica administrativa do ERI.


“Acredito que este foi um passo muito importante para a internacionalização de nossa universidade. A presença de alunos e alunas internacionais nos fortalece academicamente e, sem dúvida, insere a UEPG no contexto internacional, abre portas para novos projetos que beneficiem nossas comunidades local e global”, avalia a professora Sulany.


O encontro também rendeu frutos, a partir dessa acolhida, segundo a professora Ione, pretende-se realizar encontros periódicos com os alunos internacionais. Além disso, foram propostos, e bem recebido pelos alunos, encontros para Conversação em Português Brasileiro. “O curso será ofertado inicialmente na segunda quinzena de maio de 2022, nas quintas feiras das 17:30 às 18:30 na biblioteca do Campus de Uvaranas. Nessas rodas de conversação, desenvolvidas pela Escola de Línguas, Literaturas e Culturas da UEPG”, explica o bolsista do ERI Claudio Fernandes Baranhuke Junior. As aulas deverão tratar de temas diversos, abrangentes e de interesse dos acadêmicos, com fins de aperfeiçoamento linguístico.

No encontro, houve roda de conversa e todos puderam se apresentar, conhecer uns aos outros e também autoridades e órgãos importantes da UEPG. Foto: Cristina Gresele


O Escritório de Relações Internacionais

O ERI desempenha a função de agente responsável pela harmonização das diretrizes de internacionalização da Universidade. Além de acolher e orientar os alunos internacionais, o Escritório também estabelece convênios de cooperação acadêmica, científica e tecnológica com instituições estrangeiras; mantém contato com instituições nacionais e internacionais a fim de possibilitar a execução de ações previstas em acordos e convênios internacionais; desenvolve programas de mobilidade internacional para estudo e/ou estágio, além de fornecer informação à comunidade acadêmica da UEPG sobre mobilidade internacional e oportunidades de estudo e pesquisa.


“O ERI encontra-se como um setor mediador entre a instituição estrangeira e seus trâmites burocráticos, como realização de convênios. Mas também para o encaminhamento de alunos da UEPG para intercâmbio e mobilidade internacional, além de apoio ao aluno que deseja estudar em nossa Instituição, desde auxílio com documentações, local de estadia e o acolhimento em sua chegada a Ponta Grossa. Sendo assim, acredito que o papel do ERI torna-se fundamental para a estruturação da internacionalização na Universidade”, destaca a professora Sulany, diretora do ERI.


Da Assessoria