top of page
  • Foto do escritorRedação

UEPG inaugura Edifício Fausi Azis Chagury, anexo ao Pax

O prédio, de 4.407,06 m², possui investimento total de R$ 6.7 milhões e será administrado pela Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Culturais (Proex)

O anexo do Cine-Teatro Pax é disposto em quatro pavimentos, todos acessíveis por meio de dois elevadores. Foto: Aline Jasper

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) inaugurou nesta segunda-feira (25) o Edifício Fausi Azis Chagury, anexo ao Cine Teatro Pax. A instituição fechou um ciclo de 16 anos desde o primeiro pedido de construção, em 2007. O prédio, de 4.407,06 m², possui investimento total de R$ 6.7 milhões e será administrado pela Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Culturais (Proex).


O edifício foi construído com investimento de diversas fontes de recursos – R$ 4,5 milhões da Secretaria da Ciências Tecnologia e Ensino Superior (Seti), R$ 1,7 milhão de verba federal e R$ 530 mil de recursos próprios. Dentro das verbas federais, o avanço das obras foi possível após o repasse de R$ 1,5 milhão, destinado pelo Secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná e Deputado Federal, Sandro Alex, em 2021. “Essa obra foi construída em etapas, com muita luta. É um investimento alto, mas que vale a pena e vocês estão presenciando conosco”, comemora. Sandro tem lembranças da época em que assistia a filmes no Cine-Teatro Pax. “Por isso, hoje esta obra traz uma sensação de dever cumprido. Agradeço a confiança de cada um que teve a esperança de que a gente faria esse prédio. Nós estamos entregando esta bela obra para toda a sociedade”, completa.


Juntamente com as comemorações da inauguração, o Secretário de Inovação do Paraná e Deputado Estadual, Marcelo Rangel, anunciou o investimento de R$ 500 mil para um laboratório de inovação no prédio. “A educação precisa vir em primeiro lugar, sempre”, destaca. O Secretário ainda ressaltou o trabalho para a entrega das obras do edifício. “Foi trabalho árduo do Deputado Sandro Alex, que esteve à frente deste projeto belíssimo. São mais de 4 mil metros quadrados para eventos e atividades de pós-graduação. Mais uma vitória para Ponta Grossa”.


O reitor da UEPG, professor Miguel Sanches Neto, iniciou sua fala no evento agradecendo todas as equipes e autoridades envolvidas para a conclusão das obras. “É possível imprimir uma imagem positiva para o serviço público, além de ser nossa obrigação manter a memória das pessoas que passaram pelas instituições públicas”. A decisão de nomear o prédio anexo como Edifício Fausi Azis Chagury partiu do reitor, como homenagem ao docente que atuou na UEPG e faleceu neste ano. “É uma forma de reconhecer os relevantes serviços prestados à instituição pelo professor Fausi, que sempre atuou em prol do desenvolvimento da Universidade”, acentua.


“Nossos investimentos têm sido consolidados para melhorar diversos setores da cidade”, ressalta o vice-reitor da UEPG, professor Ivo Mottin Demiate. “Esta obra aqui é a maior que nós já entregamos, que já vem de muito tempo e que vai ser um equipamento público para o bairro de Oficinas e toda a cidade”. O novo prédio acompanha o crescimento da cidade, segundo Ivo. “Este local vai ajudar muito nossa região e contribuir para a história, algo realmente fantástico”.


A obra que a UEPG entrega para a população dos Campos Gerais é a realização do sonho de muitas pessoas que passaram pela instituição, segundo a pró-reitora da Proex, Beatriz Nadal. “É uma honra receber este magnífico prédio, que passa a integrar a estrutura da Proex. É gratificante estar aqui e perceber que esta edificação moderna tem logo ali ao lado o nosso querido Cine-Teatro Pax, numa demonstração clara de que, para a nossa Universidade, a valorização da história e o investimento no futuro caminham juntos”, comemora. Para Beatriz, o espaço irá propiciar a criação de ações extensionistas, voltadas ao interesse social. “A realização de um sonho deste tamanho, com mais de 4 mil metros quadrados, permite-nos pensar grande, tão grande quanto é a nossa gratidão a cada uma das autoridades, pessoas da comunidade, servidores e reitoria, que hoje nos permitem celebrar mais esta conquista”.


O prédio

O anexo do Cine-Teatro Pax é disposto em quatro pavimentos, todos acessíveis por meio de dois elevadores. O primeiro será destinado à Proex e o segundo andar servirá de espaço para atividades do Centro de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito (Ceppodi). Os dois últimos pavimentos já abrigam equipes do Núcleo de Tecnologia e Educação Aberta e a Distância (Nutead) e TV Educativa (TVE-UEPG).


A construção do anexo ao Pax foi concebida para ser executada em etapas, em função dos recursos financeiros disponíveis à época, sendo que a primeira versão do projeto arquitetônico foi elaborada e aprovada nos órgãos competentes em 2007. Na primeira fase das obras, foram executados os serviços preliminares de infraestrutura, superestrutura e cobertura. A segunda e terceira etapas contemplavam vedação; esquadrias; revestimentos; pisos; instalações hidrossanitárias, pluviais e prevenção de incêndio; instalações elétricas, telefônicas e de lógica; sistemas de sonorização e iluminação; serviços complementares. Na quarta etapa, foram realizados serviços de elevadores; paisagismo; e serviços complementares.


Após a realização do projeto, orçamento e organizações dos editais, a Prefeitura do Campus (Precam) iniciou o processo de fiscalização da obra, na instalação de guarda corpo e corrimão das escadas e rampas; instalação das portas internas; assentamento de porcelanato nas fachadas; assentamento do paver para calçamento; pintura interna e externa; além da instalação de dois elevadores, com capacidade de 8 passageiros cada.


Elias Pereira, prefeito do Campus, celebra emocionado a entrega das obras. “Em 2018, quando assumimos, passamos por vários percalços e ver a obra sendo entregue com esse padrão de qualidade é um sentimento de gratidão, por ter cumprido essa meta que assumimos”. As equipes da Precam, Pró-reitoria de Planejamento (Proplan) e de Assuntos Administrativos (Proad) foram alvo de agradecimento especial na fala de Elias. “Este local é muito importante para a cultura de Ponta Grossa, e irá colaborar de forma ímpar para o ensino, pesquisa e extensão. Quando finalizamos uma obra deste porte, Universidade e sociedade ganham”.


Quando se entrega obras, elas são voltadas para pessoas, de acordo com o pró-reitor da Proad, Emerson Hilgemberg. “Feitos como esse têm uma dimensão muito maior que nos orgulha. Todos os momentos de dificuldades, estresse e cansaços valeram por esta recompensa. Nós vencemos uma série de percalços”, salienta. O pró-reitor ainda cita as diversas fontes de recursos que possibilitaram a entrega da obra. “Muita gente ajudou. Eu tenho orgulho de fazer parte dessa equipe pelas coisas que a gente vai conquistando. É uma Universidade cada vez maior e que se torna maior não só para si mesma, mas para seu entorno. Isso é o mais importante”.


Histórico

Os recursos para a primeira etapa das obras foram intermediados por emenda parlamenta do deputado Affonso Camargo Neto (in memorian), que apresentou a proposta para a União, em 2007. Na época, havia o compromisso do parlamentar de propor emendas sucessivas de R$ 1 milhão, mas por entraves com empreiteira e licitações, a obra foi paralisada. A partir de 2011, o Deputado Sandro Alex começou tratativas junto ao poder público, para que novas licitações fossem feitas.


A pró-reitora de Planejamento, Andrea Tedesco, relembra a série de dificuldades enfrentadas para que a obra fosse concluída. Foram cinco licitações feitas, desde 2007: em 2009, 2012, 2015, 2018 e 2021. “Agora estamos conseguindo entregar este edifício, e é impossível a gente separar as pessoas que estão envolvidas, porque as coisas foram feitas para serem usadas pelas pessoas”, destaca. No momento em que obras são feitas, elas são voltadas para pessoas, segundo Andrea. “Agradeço em especial às equipes que trabalharam e aos nossos queridos chefes que confiam no nosso trabalho. Que todos nós possamos usufruir desse espaço, que não é uma coisa, mas é um espaço de encontros em que novas relações e histórias vão ser entrelaçadas”.


Comemoração

“Esta obra aqui e o restauro do Museu Campos Gerais são as mais emblemáticas para a cidade, sem dúvidas um presente da nossa Universidade”, relata o presidente do Conselho Estadual de Educação do Paraná e professor da UEPG, João Carlos Gomes. Os trâmites para reforma do prédio iniciaram na sua terceira gestão enquanto reitor da instituição, em 2007, quando a Prefeitura doou o Pax para a Universidade. “Me sinto orgulhoso de estar aqui, participando desse momento que, sem dúvida alguma, é emblemático e mostra o papel e a importância da Universidade para Ponta Grossa e região”.


Representando o secretário da Seti, Aldo Nelson Bona, Maria Aparecida Cunha Figueiredo, relata que a inauguração do prédio mostra o reconhecimento do trabalho que é desenvolvido na UEPG. “A democratização da educação superior, de levar a pesquisa avançada em prol do desenvolvimento sustentável, também demonstrada aqui. Por isso, muito obrigada pelo trabalho que vocês desenvolvem na UEPG”, completa.


Tônia Mansani, em nome da prefeita de Ponta Grossa, Elizabeth Schmidt, agradece a parceria da UEPG com o Poder Executivo Municipal. “Vocês estão entregando muito mais que um prédio e sim um ativo para nossa comunidade. Vocês estão entregando um espaço que já foi nosso, que agora terá inovação, conhecimento e levará o município muito além”, finaliza.


Da Assessoria

Comments


bottom of page