top of page
  • Foto do escritorRedação

Museu de Arte Contemporânea promove Encontro em Performance

A proposta central é abrir espaço institucional para que artistas se encontrem no museu e façam suas práticas livremente

Museu de Arte Contemporânea promove Encontro em Performance no início do inverno. Foto: Kraw Penas

Em pleno solstício de inverno, dia 21 de junho, quarta-feira, o Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC) irá promover a segunda edição do projeto Encontro em Performance, focado no estudo e na prática de performance artística. A proposta central é abrir espaço institucional para que artistas se encontrem no museu e façam suas práticas livremente, sem roteiros pré-estabelecidos e podendo ser acompanhados pelo público externo interessado nesse campo de expressão.


O 2º Encontro em Performance vai reunir cinco artistas: Caio Gusmão Ferrer, Camillat, Eduardo Amato, Stéfani Belo e Ricardo Nolasco. Eles apresentarão suas performances a partir das 11 horas, na Sala Adalice Araújo. O espaço fica no hall do edifício sede da Secretaria da Cultura (Rua Ébano Pereira, 240, Centro - Curitiba).


Além dos artistas confirmados, o museu abre espaço para pessoas que tenham interesse em participar com suas pesquisas performáticas a partir das 11h58 da manhã, horário do solstício de inverno. Basta se inscrever neste formulário para se juntar ao encontro:

A periodicidade desse e dos próximos Encontros em Performance será sempre alinhada com os equinócios de outono e primavera e solstícios de inverno e verão, ou seja: acontecerão quatro vezes ao ano.


Movimento Internacional

Inédito no Paraná, o Encontro em Performance tem inspiração direta em um movimento internacional de artistas de performance, o Same but Difference: Equinox. Em 2017, durante o simpósio Being in Public: Encounters Outer Place/Inner Space, realizado na Irlanda do Norte, um artista chamado Chumpon Apisuk propôs a instauração de ações públicas pela liberdade e democracia realizadas sempre nos equinócios de março e setembro.


Em setembro de 2017, 283 artistas de 45 cidades e 29 países performaram simultaneamente em espaços públicos. Desde então, os equinócios vêm se constituindo num movimento por meio de sessões abertas em espaços públicos, em diferentes localidades, mantendo viva a ideia de um dia de ações públicas em performance.


No MAC Paraná, o encontro surge da necessidade do museu em chancelar institucionalmente as iniciativas em performance da arte contemporânea paranaense, abraçando a proposta apresentada por Eduardo Amato, artista castrense focado em performance.


Artistas Confirmados

- Caio Gusmão Ferrer é pessoa não binária, branca, 30 anos. Licenciado em Geografia pela Unicamp e artista de Arte Acción/Performance. Trabalha como produtor no espaço AT|AL|609. Atua como Educadore Comunitárie na área de prevenção ao HIV e outras ISTs pela ImPrEP.


- Camillat é bacharel em Artes Visuais e Mestranda em Poéticas Visuais pela Unicamp, atua como artista visual e participa de festivais e exposições no Brasil e Exterior. Atualmente gerencia e produz as atividades do espaço cultural Fêmea Fábrica – do qual é idealizadora, na cidade de Campinas, interior de São Paulo.


- Eduardo Amato é artista da performance arte. De Castro, mora e trabalha em Curitiba. Dirige o PF espaço de performance art etc e é mestrando em Artes pela Unespar.

- Stéfani Belo é artista transexual e nordestina. Faz dos lugares por onde passa parte fundamental de sua criação artística em plataformas multimidiáticas.


- Ricardo Nolasco é artista de cabaré, performer, diretor, tarólogo, escritor, roteirista, poeta da presença, situacionista, professor de artes cênicas e performática e flâneur. Graduado em Artes Cênicas pela Unespar/FAP. É mestrando pela Unirio com a pesquisa Cabareturgia: como se escreve cabaré? Cofundador da Selvática Ações Artísticas (Curitiba) e da ULC (Universidade Livre de Charlatanismo).


Serviço:

2º Encontro em Performance do MAC Paraná

Dia 21 de junho, das 11h às 13h


Por AEN

コメント


bottom of page