top of page
  • Foto do escritorRedação

MIS-PR vira palco para celebrar história e legado cultural do choro

Abertura da mostra nesta quarta-feira comemora data de nascimento de Pixinguinha. Instrumentos musicais e partituras proporcionam uma experiência imersiva

Exposição de Choro no MIS-PR tem coleção de materiais históricos e culturais. Na foto, Ana Paula Peters e Mirele Camargo, diretora do MIS-PR. Foto: Kraw Penas

O Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR), com apoio do Programa de Mestrado em Música da Unespar e Mercado das Pulgas de Curitiba, apresenta a exposição “Choro aqui em todos os lugares – algumas histórias”, que abre nesta quarta-feira (19), às 19h. A abertura da mostra comemora o Dia Nacional do Choro, em 23 de abril, data de nascimento de Pixinguinha, compositor dos chorinhos mais famosos da música brasileira.


Celebrando uma das principais expressões da cultura nacional, a mostra é conduzida para ir além dos fatores acadêmicos, envolvendo também as vivências informais das rodas de choro, com a curadoria de Ana Paula Peters, historiadora, flautista, bacharel em Museologia e professora da Unespar, com 20 anos de pesquisa sobre o gênero.


A exposição apresenta uma visão da história das pessoas e eventos que moldaram o gênero musical, com uma coleção de painéis que retratam as várias gerações de produtores e agentes culturais envolvidos com a produção e difusão do choro. Instrumentos musicais e partituras proporcionam uma experiência imersiva na cultura do Choro, incluindo uma variedade de materiais relacionados, como coletânea de livros, discos, áudios e outros itens de interesse histórico.


Um dos destaques é o livro "Nas Trilhas do Choro", escrito por Ana Paula, que faz parte da exposição e pode ser acessado por meio deste link .


Trajetória

Com o tema “Choro aqui em todos os lugares”, a mostra enfatiza que hoje não há um lugar específico para o choro existir. “É um gênero consumido e produzido no Brasil inteiro. E não acontece somente no Brasil, mas também em âmbito global”, explica a curadora. Já o subtítulo "Algumas histórias" faz referência à seleção de diferentes relatos e personagens que envolvem o gênero.


A proposta é levantar a trajetória do choro desde a Era das Rádios, falar de músicos, estudiosos, compositores, jornalistas e produtores como Sidail Cesar. Além disso, a exposição pretende dar voz a agentes culturais e chorões que ainda não alcançaram a visibilidade, como Pedrinho da Viola, e resgatar a presença feminina, em um convite para conhecer as contemporâneas Brejeiras, que seguem os passos de Chiquinha Gonzaga.


A mostra desperta o interesse dos chorões e leva ao público geral a compreensão histórica e cultural do que foi e do que é o choro, destacando o espaço democrático e de sociabilidade gerado por meio da música, que se firma como um gênero que aproxima gerações.


Choro no MIS

A abertura contará com a apresentação do grupo curitibano Choro & Seresta, conjunto mais antigo do Paraná e que tem se apresentado ininterruptamente há 50 anos. Esse grupo é parte fundamental da história do choro paranaense, como reconhece Ana Paula, em uma homenagem merecida aos primeiros integrantes e à importância das gerações de músicos envolvidos nessa trajetória.


Em cartaz até 18 de junho, a mostra será intensificada com atividades, eventos e palestras oferecidas pelo museu, que dialogam com o tema da exposição.


Em paralelo, o MIS-PR também recebe o IV Seminário Euro-Brasileiro de Choro, que inicia sua programação no dia 24 de abril para músicos, estudantes e público geral participarem de debates e apresentações.


A diretora do museu, Mirele Camargo, destaca que a intenção é unificar os chorões da cidade e promover uma imersão interessante e didática na cultura deste gênero musical. “A exposição e os eventos que estamos promovendo são uma oportunidade para conhecer e celebrar a riqueza deste gênero musical brasileiro e para apreciar a sua história e evolução”, complementa.


Serviço:

Exposição “Choro aqui em todos os lugares - algumas histórias”

Abertura com o grupo Choro & Seresta

Data: 19 de abril

Horário: 19 horas

Em cartaz até 18 de junho

Local: Museu da Imagem e do Som do Paraná. Rua Barão do Rio Branco, 395.

Entrada: Franca.


Por AEN

Commentaires


bottom of page