top of page
  • Foto do escritorRedação

Fenata: peça ‘A Pena de Wilde’ muda local de apresentação

Peça “A pena de Wilde”, que seria apresentada neste sábado (4) no auditório B do Cine-Teatro Ópera, foi transferida para o auditório da Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Culturais (Proex)

O espetáculo inicia com um singelo chá inglês com biscoitos amanteigados, feitos pelo próprio artista a partir da receita de sua avó. Foto: Divulgação


A Universidade Estadual de Ponta Grossa, por meio da organização do 51º Fenata, informa que a peça “A pena de Wilde”, que seria apresentada neste sábado (4) no auditório B do Cine-Teatro Ópera, foi transferida para o auditório da Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Culturais (Proex), na Praça Floriano Peixoto, nº 139. O espetáculo inicia a partir das 22h. O espetáculo inicia com um singelo chá inglês com biscoitos amanteigados, feitos pelo próprio artista a partir da receita de sua avó. Mas o público está ali para compartilhar um momento íntimo com o ator Ailton Guedes, que preparou tudo no intuito de abrir publicamente algo pessoal que, há 20 anos, transformou seu modo de ser e de sentir o mundo para sempre. O público acompanhará a saga desse artista nascido em Santos e que ainda na adolescência se apaixona por Oscar Wilde, e que na vida adulta – após um fato trágico – resolve partir para Inglaterra em busca de perdão! Nesse monólogo de autoficção, o ator Ailton Guedes mistura vida real e ficção, com base no legado wildeano. Cria um ambiente cotidiano e íntimo a princípio, que vai aos poucos atingindo outras dimensões de percepção da realidade. O artista desvela a cada instante da trama o impacto que a beleza das palavras advindas da pena de Wilde, assim como a absurda condenação de Oscar a pena de 2 anos de prisão por homossexualidade, tiveram sobre ele. As memórias, as angústias e os desejos destes dois artistas, separados por mais de um século, se contaminam e o público é mergulhado num universo que mistura borracharia do Marapé com Palácio Buckingham, Drag Queen com carcereiro, dor com prazer. Ficha Técnica – dramaturgia, direção e atuação: Ailton Guedes – orientação de processo: Luiz Fernando Marques (Lubi) – direção de arte e figurinos: Nadine Trzmielina– cenografia: Heron Medeiros – produção: Cartax Produtora


Da Assessoria


Comments


bottom of page