top of page
  • Foto do escritorRedação

Exposição Novos Olhares chega ao Instituto de Educação

Moradores de várias gerações participaram das atividades, que também envolveram retratos de famílias, ações de incentivo à leitura e registro de histórias sobre a Vila

Exposição Novos Olhares chega ao Instituto de Educação. Foto: Diulgação

O Instituto de Educação Cesar Prieto Martinez recebeu nesta terça-feira, a exposição fotográfica Novos Olhares, que reúne produções que mostram a Vila Nova a partir da visão dos seus moradores. A exposição permanecerá até o dia 22 no colégio e é um dos produtos do projeto Vila Nova – Novos Olhares promovido pela ABC Projetos Culturais, que levou à comunidade oficinas de produção fotográfica e produção de textos.


Para a diretora da ABC Projetos, Alessandra Bucholdz, levar a exposição Novos Olhares ao Instituto de Educação é uma ação bastante significativa. “Muitos adolescentes da Vila Nova estudam no Instituto de Educação e, desse modo, conseguem se ver retratados nesse trabalho direta ou indiretamente. Além disso, a própria escola cedeu espaço para realização de atividades do projeto, uma vez que a Vila não dispõe de qualquer espaço público ou comunitário”, revela. Ela acrescenta que a escola é uma das instituições de referência da comunidade.


A preocupação que norteou o projeto foi a de promover ações formativas incentivando que a comunidade se expresse e possa ser ouvida, uma vez que costuma ser retratada apenas a partir do viés de violência nos noticiários.


Moradores de várias gerações participaram das atividades, que também envolveram retratos de famílias, ações de incentivo à leitura e registro de histórias sobre a Vila. Com isso, o projeto buscou valorizar também o sentimento de pertença das pessoas.


Para a diretora do Instituto de Educação, Carmen Lucia de Souza Pinto, “a iniciativa trouxe a valorização de cada um dos alunos do colégio que pertencem à Vila Nova”. Ela complementa que “o projeto foi muito importante, porque transformou vidas! Os alunos do Colégio sentem-se orgulhosos pelos produtos gerados a partir da sua participação no projeto. A experiência despertou o amadurecimento dos estudantes, que passaram a valorizar o lugar onde moram com novos olhares”.


As 15 oficinas fotográficas realizadas na comunidade foram ministradas pelo fotojornalista Maykon Lammerhirt. Carlos Fabrício Avrechaki, geógrafo e professor de escrita criativa acompanhou os alunos na produção de textos. O projeto ainda teve a participação da assistente social Maria Czekalski, da produtora executiva Rafaela Prestes e da monitora da comunidade, Maria da Luz.

Exposição Novos Olhares chega ao Instituto de Educação. Foto: Divulgação

Além da exposição fotográfica, que já circulou no Cine Teatro Ópera e no Campus Central da UEPG, o projeto lançou um fanzine com a produção da comunidade, lambes espalhados pela Vila e um e-book. “A partir desses materiais as pessoas já estão conhecendo mais a Vila Nova e isso é muito positivo e tem potencial de trazer melhorias para a nossa comunidade”, aponta a moradora Delaísa Gonçalves Aureliano.


Através dos textos publicados em e-book muitas mulheres desabafam, falando sobre a dificuldade com a falta de estrutura na Vila Nova, o preconceito na hora de conseguir emprego quando se identificam como moradoras do bairro, os desafios em relação à questão de moradia, os traumas gerados pela violência e a união necessária para que se sintam fortalecidas diante dos desafios.


O projeto Vila Nova - Novos Olhares foi aprovado pelo PROMIFIC (Programa Municipal Incentivo Fiscal à Cultura) e contou com o apoio das empresas Belgotex do Brasil, Grupo Mercadomóveis, Instituto Prestes e do casal Antônio Cesar Bochenek e Giorgia Bin Bochenek.

Exposição Novos Olhares chega ao Instituto de Educação. Foto: Divulgação

Da Assessoria

Commentaires


bottom of page