top of page
  • Foto do escritorRedação

Exposição fotográfica sobre Vila Nova pode ser visitada na UEPG

A proposta do projeto que deu origem à exposição é mostrar a Vila Nova a partir do olhar de quem vive lá

Exposição fotográfica sobre Vila Nova pode ser visitada na UEPG. Foto: Amanda Stafin/Lente Quente

A exposição fotográfica Vila Nova – Novos Olhares, produzida pela ABC Projetos Culturais, pode ser visitada até a próxima sexta-feira (04/08), no hall do bloco C do prédio central da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Ela conta com imagens produzidas pelos próprios moradores que mostram o cotidiano da comunidade Vila Nova.


A proposta do projeto que deu origem à exposição é mostrar a Vila Nova a partir do olhar de quem vive lá. “Historicamente, a Vila Nova é retratada apenas a partir do ponto de vista de terceiros e dos quadros de violência existentes, sem o cuidado de se traçar um paralelo, mostrando também outras realidade da Vila”, explica a produtora cultural e diretora geral do projeto, Alessandra Bucholdz.


A mobilização da comunidade foi articulada pela assistente social Maria Czekalski e pela líder comunitária Maria da Luz. Ao longo de pouco mais um ano foram ministradas 15 oficinas de fotografia pelo fotojornalista Maykon Lammerhirt e 15 oficinas de escrita criativa, coordenadas pelo geógrafo e professor Carlos Fabrício Havrechak, com a produção da arte-educadora Rafaela Prestes Remeika.


Devido à falta de qualquer espaço público coletivo na Vila, as aulas teóricas aconteceram no Instituto de Educação César Prieto Martinez, que recebe boa parte dos estudantes da localidade. Para as atividades práticas, o grupo se deslocava até a comunidade.


Além da exposição fotográfica, foram produzidos lambes com as imagens produzidas pelos alunos e espalhados nos muros das Vila Nova. Os textos e as imagens também deram origem a um fanzine e a um e-book, que pode ser acessado por qualquer pessoa através do QR Code ou link divulgados junto com essa reportagem.


Para o e-book, além dos alunos foram ouvidas mulheres da Vila Nova, que falam sobre os desafios, as vivências, as dificuldades e o sentimento de pertença ao local. “A população da Vila Nova é pobre, porém as relações entre nós acabam nos fortalecendo e vai virando um jeito rico de viver”, comenta Kauane Vitória de Oliveira, 23 anos.


O projeto Vila Nova- Novos Olhares foi aprovado pelo PROMIFIC – Programa Municipal de Incentivo Fiscal à Cultura e pode ser realizado graças à destinação de IPTU realizada pelas empresas Belgotex do Brasil, Mercadomóveis, Prestes Construtora e pelas pessoas físicas Antonio César Bochenek e Giórgia Bin Bochenek.



Da Assessoria

Comments


bottom of page