top of page
  • Foto do escritorRedação

Conselheiro do audiovisual de PG publica artigo sobre a Lei Paulo Gustavo


Manoel Correa BigNel faz um artigo de apresentando ideias e sugestões sobre o investimento da Lei Paulo Gustavo em Ponta Grossa

Conselheiro de Cultura do audiovisual de Ponta Grossa, Manoel Correa BigNel, publica artigo sobre a Lei Paulo Gustavo. Foto: Reprodução



A Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura, realiza uma consulta pública para a aplicação das Leis Aldir Blanc e Paulo Gustavo. A consulta acontece no dia 27 deste mês (segunda-feira), das 18h30 às 20h30, no Cine-Teatro Ópera sendo voltada aos produtores culturais interessados. O objetivo é coletar sugestões para um plano prévio de encaminhamento das propostas de financiamento de projetos artísticos culturais através das respectivas leis. Na oportunidade, também serão esclarecidos aspectos das duas leis, que ao todo somam mais de R$ 5 milhões de recursos para o município.


Mais especificamente, a Lei Paulo Gustavo destinará para Ponta Grossa o montante de R$2.764.239,25, sendo R$ 1.464.353,91 para produções audiovisuais, R$ 334.848,43 para apoio a sala de cinemas do município, R$ 168.135,07 para capacitação, formação e qualificação no audiovisual, além de apoio a cineclubes, festivais e mostras e mais R$ 796.901,85 para demais áreas da cultura.


Pelo fato da Lei Paulo Gustavo ter maior porcentagem do valor destinado à área do audiovisual, Manoel Correa BigNel, conselheiro municipal de cultura da cadeira de audiovisual da cidade de Ponta Grossa, publicou um artigo na tarde desta sexta-feira (24) dando sugestões sobre o remanejamento do dinheiro da Lei Paulo Gustavo, segue abaixo o artigo na íntegra:



Sobre a Lei Paulo Gustavo e o Audiovisual em Ponta Grossa.

A Secretaria da Cultura de Ponta Grossa está promovendo uma consulta pública com a finalidade de coletar sugestões para a elaboração dos editais da Lei Paulo Gustavo. Esse questionário é resultado de um trabalho coletivo de secretários de cultura da região que contempla Ponta Grossa e os Campos Gerais. E vale dizer que é algo que vem sendo feito em todos os estados brasileiros.

É extremamente sensata a preocupação dos secretários de cultura quanto a distribuição desses recursos e todas as consequências que podem se derivar a partir dos editais, positivas ou negativas, a depender do nível de responsabilidade de cada município.

Nesse sentido, é muito importante que todos e todas se posicionem individualmente, através do questionário. E, na condição de representante dos produtores audiovisuais no Conselho Municipal de Cultura, quero chamar a atenção de todos e todas que atuam neste setor, para a importância de realizarmos uma reunião presencial para debatermos essa questão sob a ótica do audiovisual e da oportunidade ímpar que a Lei Paulo Gustavo representa para o nosso setor.

O Audiovisual será (pela primeira vez na história de PG e da maioria dos municípios brasileiros) o setor que receberá mais recursos. E é muito dinheiro pessoal. Receberemos quase um milhão e meio de reais só para produção. Praticamente 80% do recurso total que virá para PG, serão destinados ao audiovisual. Isso, obviamente nos enche de alegria, mas também nos impõe uma responsabilidade muito grande. Estamos diante de uma oportunidade maravilhosa e devemos nos posicionar da maneira mais equilibrada e coerente possível.

E primeira pergunta que me vem à cabeça é, temos gente em quantidade e com capacitação técnica para utilizar todo esse recurso e garantir bons produtos?

Como ficam os demais setores da cultura?
É importante observar que todos os setores da cultura podem ganhar com essa oportunidade do audiovisual. Nosso setor agrega e emprega profissionais de praticamente todos os setores, e não apenas da classe artística.

Na produção de um longa de ficção, por exemplo, são empregados: Atores, diretores, músicos, preparadores, roteiristas, produtores, figurinistas, cenógrafos, fotógrafos, cinegrafistas, editores, designers, contrarregras, continuístas, assistentes, estagiários, além de eletricistas, marceneiros, costureiras, cabeleireiras, maquiadores, motoristas, roupeiros, faxineiros, arrumadeiras, serviços de hotelaria, restaurantes, seguranças, etc, etc.

Outra forma de contemplarmos as demais áreas da cultura é através dos documentários. Podemos documentar e promover, em conjunto outros setores da cultura, um acervo maravilhoso, um verdadeiro panorama da cultura de Ponta Grossa. E, claro que, os setores documentados, como por exemplo o carnaval, escolas de samba e blocos participantes podem ser contemplados financeiramente com cachês de participação. Afinal, quando se tem recurso financeiro, todo mundo pode e deve ser remunerado. Um projeto desse tipo pode contemplar culturas populares, benzedeiras, terreiros, artistas plásticos, músicos, bailarinos, artistas circenses, tudo o que há de cultura em Ponta Grossa.

Podemos promover um edital de documentários, mini documentários e Inter programas  vinculado a uma parceria com a TV educativa, gerando conteúdo gratuito para a TV, janela de exposição para os produtores de conteúdo e para os personagens e setores documentados, resultando ainda em uma boa programação para a os telespectadores e, dessa maneira, beneficiando a população em geral. Videoaulas é uma outra forma de contemplarmos os outros setores através dos editais de audiovisual. 

Outra coisa fabulosa, teremos a oportunidade de investir na qualificação do nosso pessoal da produção audiovisual com cursos de roteiro, edição, fotografia, etc. Com isso nossas produções ganharão mais qualidade. Todos ganham individualmente e coletivamente a Produção Audiovisual de PG amplia sua possibilidade de ganhar destaque no estado e nacionalmente através das nossas produções.

Ou seja, estamos diante de uma oportunidade maravilhosa.  O audiovisual que é um dos setores que menos recebe recursos na história da nossa cena cultural local, de repente, pode dar uma excelente demonstração de generosidade, trazendo para dentro de seu guarda-chuva todos os demais setores. Teremos a oportunidade de demonstrar para toda comunidade cultural e demais setores da sociedade a importância social e cultural do setor audiovisual e de fortalecermos um dos maiores patrimônios culturais de Ponta Grossa, nossa TV Educativa.

(Manoel Correa BigNel – Conselheiro Municipal de Cultura de PG e membro do Conselho da TV Educativa)

コメント


bottom of page