top of page
  • Foto do escritorRedação

Congresso de Educação Física da UEPG reúne pesquisadores de sete países

O evento reuniu professores e pesquisadores de sete países da América Latina, de 01 a 04 de novembro, no Campus Uvaranas

Congresso de Educação Física da UEPG reúne pesquisadores de sete países. Foto: Divulgação/UEPG

Esther Dámaris Sulca Chávez percorreu cerca de 3 mil quilômetros entre seu país de origem, Peru, e Ponta Grossa para participar do 3º Congresso Latinoamericano de Educação Física, Esporte, Recreação e Saúde (Congreso Latinoamericano de Educación Física, Deporte, Recreación y Salúd), na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O evento reuniu professores e pesquisadores de sete países da América Latina, de 01 a 04 de novembro, no Campus Uvaranas, e contou com palestra de abertura ministrada pelo professor Dartagnan Pinto Guedes.


A longa viagem valeu a pena para Esther, que disse estar impressionada com a UEPG. “No Peru, não temos professores especializados em educação física infantil. Somos os mesmos professores que ensinam todas as áreas e vi que isso é visto como algo secundário”. Ela acrescenta que no seu país é dada pouca importância à atividade física das crianças. “Em outras palavras, faz parte das atividades, mas não é algo programado, medido, controlado”. Para Esther, um dos destaques foi um pôster sobre o estresse e como ele pode ser medido. “Acho que muitas crianças no Peru estão sendo prejudicadas por isso, porque desde muito pequenas são expostas a participar de competições de conhecimento e são expostas a receber muitos deveres de casa”. Esther relata que uma criança de três anos de idade realiza tarefas com dez páginas todos os dias.


O professor colombiano Abelardo Sanclemente, presidente da Rede Latino-americana de Educação Física, Esportes, Recreação e Saúde e também da Associação da Rede Colombiana de Professores de Educação Física (Arcopref), avalia que o Congresso consolida a integração da América Latina, oferecendo alternativas para lidar com as brechas de desigualdade social, formulando propostas de políticas públicas que favoreçam os países da região. Sanclemente comenta a importância de estruturar processos de formação e pós-graduação de profissionais e ressalta a importância da UEPG na colaboração com países e universidades vizinhas. “Para a América Latina, o Brasil segue sendo um farol em todos os processos da vida humana. O vínculo da UEPG a esse evento foi peça-chave, porque permitiu que todo o avanço que a Universidade tem em relação à comunidade acadêmica e científica pudesse ser transferido e compartilhado com outros setores e outros países latino-americanos. Precisamos de uma educação física, esporte e recreação ativa que favoreça o mundo, a vida sobre o planeta e sabemos que o esporte e a recreação têm sua função chave nestes processos”.


A programação do evento ofertou oficinas e palestras com diversos temas relevantes da área na América Latina: Avaliação e Monitoramento no Futebol; Representações e Imaginário Social na sociedade em mudança: um olhar a partir do esporte, lazer e cinema; Educação Física, equoterapia e praxiologia motriz; Natação para Bebês: estimulação motora terrestre e aquática para bebês em tenras idades; Danças e ritmos peruanos; Personal Trainer para Idosos; Exercício Físico, entre outros.


A professora de dança, Leticia Barszcz, ministrou a oficina de Jazz Funk. Ela explica que a dança é uma arte, mas também é um esporte, que movimenta o corpo todo e faz bem para a saúde mental. “Você pode explorar os sentimentos que estão armazenados em seu interior e que precisam ser trabalhados. E é aí que ela aparece na dança, em sua saúde mental, em sua saúde física”.


O vice-reitor, Ivo Mottin Demiate, lembrou no seu discurso de abertura que o evento estava ocorrendo no mês do aniversário de 54 anos de fundação da Universidade. “Quando começamos o processo gradativo de vinda dos cursos para cá [Uvaranas], a primeira obra iniciada no campus, em 1983, foi a pista de atletismo e, logo em seguida, o Bloco G, onde temos hoje o curso de Educação Física”. Demiate completou que este processo aconteceu pouco mais de duas décadas depois da criação da UEPG, a partir da unificação de faculdades já existentes, entre elas as de odontologia e farmácia. “Temos a saúde, o desporto e a recreação na nossa origem e no nosso crescimento. Está no DNA da UEPG o apreço, a vocação e o incentivo a essas áreas tão importantes para o desenvolvimento das pessoas e das sociedades”.


Danilla Corazza, coordenadora do Congresso, professora do Departamento de Educação Física, avalia que o Congresso proporcionou novidades, ideias e pesquisas atualizadas para os acadêmicos. Para ela, é motivante trazer o evento aos estudantes e viver uma experiência de internacionalização. “Isso é extremamente importante para a formação, para a atualização profissional, para as pessoas como professores, ter esse intercâmbio com a América Latina e onde será o próximo congresso”.


Realização

O evento foi realizado pelo Departamento de Educação Física (Dedufis) e o Setor de Ciências Biológicas e da Saúde (Sebisa) da UEPG, em parceria com o Tejido Latinoamericano de Educación Fisica, Deportes, Recreación y Salud, a Asociacion Red Colombiana de Profesores de Educación Fisica e a Sociedad Chilena para la Educacion Fisica, Recreación y Salud. Participam do evento visitantes do Chile, Colombia, Bolívia, Cuba, Peru, Venezuela e Panamá.

Fotos: Domitila Gonzalez e Fabio Ansolin


Da Assessoria

bottom of page