• Redação

Como manter a criança interessada pela leitura

Veja como fazer a criança retomar o incentivo pela leitura em casa com a volta presencial à escola

Para a mestre em Literatura, Renata Nakano, ler é um momento de afeto e é fundamental que a família incentive a leitura literária. Foto: Divulgação

Agosto é tradicionalmente o mês marcado pela volta às aulas, depois do período de férias escolares, e, nesse ano, o retorno está sendo especial para muitas crianças, que por conta da pandemia de COVID-19 estavam participando das aulas online. E em meio a esse novo momento de organização está a leitura de livros literários. Muitos pais investiram no hábito de ler para os filhos como forma de distrair os pequenos enquanto estavam em casa.


Mas como fica esse processo agora?

Para a mestre em Literatura, idealizadora e diretora do Clube Quindim, Renata Nakano, ler é um momento de afeto e é fundamental que a família incentive a leitura literária como um momento de troca e carinho, independentemente do trabalho realizado na escola. “Ler para o filho pelo menos três vezes por semana traz inúmeros benefícios, inclusive reduzindo problemas de comportamento, como nos diz a pesquisa do Instituto Alfa e Beto em parceria com a Universidade de Nova Iorque”, fala Renata.


Para ela, ao ler um texto literário potente, adulto e criança terão um tempo de qualidade, vivenciarão a experiência da leitura juntos, podendo conversar sobre os mais variados temas, se conhecer melhor e fortalecer seus vínculos.


Mas como fazer com que a criança se interesse por ler em casa, depois de um dia de atividades na escola? “Se o maior responsável para alguém gostar de ler é o afeto, nada como a presença daquele que se ama. Daí a força da leitura compartilhada. Não trate como uma obrigação, faça da leitura uma rotina gostosa”, orienta Renata, que também observa que muitos pais, diante de um dia atribulado, conseguem incluir a leitura no momento do sono. “O mais importante é curtir esse momento junto do seu filho. Seu olhar de encantamento é a ferramenta mais potente”, fala.


E a se a dúvida é sobre o melhor horário para ler um livro para uma criança que ainda não consegue fazer a leitura sozinha, Renata explica que não há regras, porém observa que no caso dos bebês o ideal é que a leitura ocorra longe dos horários de sono, fome ou cansaço. Mas se for uma criança, uma boa dica é incluir numa rotina já consolidada da família. “Muitos pais incluem como um momento de afeto e troca na rotina do sono. Toda família tem o seu costume: é preciso escovar os dentes, colocar o pijama, dizer boa noite. Incluir a leitura nessa rotina já consolidada costuma funcionar bem”, diz.


Renata Nakano também traz dicas para aqueles pais que querem incentivar os filhos a lerem textos literários, mas não sabem como. A primeira delas é: dê o exemplo. “Todo pai sabe que mais importante do que o que você fala é o que você faz. As crianças percebem e repetem nossos comportamentos, queiramos ou não. Não adianta muito a mãe dizer que legumes fazem bem e são gostosos se no prato dela não tem nenhum”, exemplifica.


A segunda é leia com prazer para o seu filho. Divirta-se com ele!

E a terceira é compartilhe. “Compartilhar uma leitura pressupõe troca e uma relação em que o adulto se coloca lado a lado com a criança. E isso é muito potente: é o olhar mais livre da infância, com menos preconceitos, que tende a fazer associações que o adulto não consegue mais, ao lado do olhar de experiência e repertório do adulto. A troca desses dois olhares é rica para todos os envolvidos”, finaliza.


Sobre o Clube Quindim

O Clube Quindim é um projeto de curadoria de livros infantis criado em 2016 com o objetivo de despertar o afeto pela experiência literária em famílias de todo o Brasil.

Projeto independente de impacto social, o Clube Quindim tem como um dos valores a diversidade. Seus curadores, de diferentes regiões do Brasil, são os maiores especialistas em literatura infantil do País.


Ao longo destes quase cinco anos, o Clube Quindim já impactou mais de 12 mil crianças de todos os estados do País. Hoje, conta com uma rede de mais de 20 colaboradores internos e externos que levam aos seus assinantes, 80% mulheres que incentivam a leitura junto aos seus filhos, obras de alta qualidade literária e materiais de formação. Mais informações pelo site www.quindim.com.br, pelas redes sociais @clubequindim e WhatsApp: (11) 4563-6701.


Sobre Renata Nakano

Renata Nakano, 38 anos, é idealizadora e diretora-geral do Clube Quindim e mestre em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio, possui MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC e bacharelado em Comunicação Social pela UAM. Como pesquisadora, foi premiada com bolsa da International Youth Library em Munique, biblioteca de maior acervo de LIJ do mundo. Casada com Daniel Sclearuc, é mãe de duas meninas: Clarice (3 anos) e Manuela (1,5 ano). Renata Nakano atua há 20 anos com literatura infantil. Já trabalhou em editoras de diferentes perfis, grandes, pequenas, multinacionais, teve seu próprio estúdio e fundou uma editora em sociedade com um grupo de investidores, a Edições de Janeiro. Além de gerir o Clube Quindim, atua como pesquisadora e professora de cursos de pós-graduação.


Da Assessoria