• Redação

Como combinar acessórios prata e dourado

Confira a Coluna "Estilo e Moda" desta semana pela estilista Silvana Hass

Na era dos metais o ouro exerceu fascínio sobre o homem, as mais antigas joias em ouro foram encontradas na Suméria. Foto: Reprodução


Em versões exageradas ou minimalistas, adereços transportam significados que vão além de seu caráter utilitário, ou mesmo de seu valor comercial. Os adornos utilizados pelo homem desde o período pré-histórico como: prezas de animais, conchas, ossos, sementes, ou seja, materiais do seu entorno, estes eram dispostos em um cordão, fazendo com que o colar fosse considerado como a jóia mais antiga do mundo. Usados em volta do pescoço com objetivos eram de sedução, ostentação para alcançar prestígio perante o grupo, portanto não só eram usados para embelezar, mas também a modificar percepções.


Na era dos metais o ouro exerceu fascínio sobre o homem, as mais antigas joias em ouro foram encontradas na Suméria. Com a descoberta deste metal, o número de peças intensifica-se, com a aplicação de técnicas e processamentos do material que traziam além do brilho a diferenciação e utilização dos ornamentos.

Os egípcios ocupam uma posição de destaque na utilização do ouro como símbolo de poder e significado. Segundo pesquisas para os egípcios, o ouro representava a carne de Ra, o deus do Sol.


As peças eram utilizadas como talismãs e símbolos de identificação social enriquecidos com pedras preciosas que assegurassem poderes sobrenaturais e de proteção.

A medida que o homem foi desenvolvendo ao longo do tempo, novas técnicas de produção foram sendo utilizadas, ganhando precisão nos detalhes das peças e agregando gemas lapidadas, as joias atendiam os nobres passando a burguesia e as classes de poder econômico mais alta.


No entanto surgem peças, com matérias primas que não eram nobres. A estilista Gabrielle Bonheur Chanel foi a precursora lançar em paralelo as suas criações de peças de roupa as bijuterias que se caracterizavam como acessórios com materiais e valores mais acessíveis abrangendo um grande público.


Podemos perceber neste breve resumo como as definições de uma peça de um material raro que se diferenciou em hierarquia ao longo da história ainda tem seu valor diferenciado até os dias atuais.


Para um visual equilibrado confira essas dicas:

1-Escolha uma peça de acessório para ser o destaque do seu visual.

2- Para harmonizar dourado e prata crie camadas de colares em dourado e prata com mesmo estilo e texturas parecidas, a mesma dica pode ser para usar pulseiras. No entanto escolha[E41] apenas uma das opções usar em camadas .

3 -A peça de destaque será a referência e precisa se harmonizar com as outras, mesmo que não seja da mesma cor.

4- Não é preciso usar, a mesma quantidade de acessórios em prata e no dourado, deixe que uma das cores prevalecer.

5 - Equilíbrio é a chave, quando usar os acessórios juntos, escolha onde será o ponto de atenção nas diferentes partes do seu corpo, ou seja, no pescoço, nos braços ou nas mãos, definida a parte do corpo a se destacar com um acessório que chame a atenção, para finalizar mantenha o equilíbrio visual com as outras peças mais discretas.


Por Silvana Hass