top of page
  • Foto do escritorRedação

Atuação multidisciplinar e novos programas da cultura serão reforçados

Inicialmente, foram selecionados 27 residentes em programa da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Foto: Kraw Penas/SEEC

O Governo do Estado realizou na última semana, no auditório da Biblioteca Pública do Paraná um evento de integração dos novos profissionais selecionados para a segunda edição do Programa de Residência Técnica em Gestão Cultural. O objetivo é reforçar as equipes que desenvolvem atividades artístico-culturais nas diferentes regiões do território paranaense, com foco na melhoria contínua dos serviços públicos disponibilizados à população.


Inicialmente, foram selecionados 27 residentes. Eles irão atuar em Curitiba, Cascavel, Guarapuava, Jacarezinho, Londrina, Maringá, Paranaguá e Ponta Grossa. Outros 13 profissionais estão em processo de seleção para fechar essa segunda turma.


Denominados de Restec, os programas de residência técnica são coordenados pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), voltados para a capacitação de recém-formados em várias áreas do conhecimento. Cada Restec envolve cursos de pós-graduação em nível de especialização, ofertado por universidade estadual, na modalidade de ensino a distância. Simultaneamente, os residentes desenvolvem atividades práticas em instituições ligadas ao Poder Executivo Estadual.


Na Restec de Gestão Cultural, o curso de especialização é ofertado pela Universidade Estadual do Paraná (Unespar). Já as atividades práticas do programa serão desenvolvidas com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná (SEEC).


O secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Aldo Bona, destacou o compromisso do governo com a qualificação profissional do setor público. “O programa de residência técnica é uma estratégia de formação continuada para preparar profissionais para o serviço público e a segunda edição dessa residência confirma os bons resultados, na perspectiva de formarmos profissionais para a gestão de atividades culturais no serviço público estadual e municipal, atendendo a todas as demandas do Estado do Paraná”, afirmou.


O programa Restec acompanha o momento de maior investimento no setor cultural na história do Paraná. Paralela ao projeto de formação de novos gestores culturais, a Lei Paulo Gustavo vai destinar mais de R$ 98 milhões ao Estado e outros R$ 105 milhões aos municípios paranaenses. Nesse contexto, a especialização em gestão cultural contribui no desenvolvimento de novos indivíduos para a vida cidadã e atende demanda por profissionais habilitados para trabalhar no setor cultural.


Sobre essa nova conjuntura, a secretária da Cultura, Luciana Casagrande Pereira, chamou a atenção dos residentes para o desafio que se inicia. “O trabalho é gigante porque estamos no momento em que os residentes técnicos vão ajudar a escrever a história. Estamos em uma etapa onde a cultura será protagonista no nosso País. Nós éramos o primo pobre e agora somos o primo rico. Não só em recursos, mas em importância”, afirmou.


Essa segunda edição atende a demanda por formação continuada de profissionais de distintos segmentos ocupacionais. Além da multiplicidade de áreas de atuação, a reitora da Unespar, professora Salete Sirino, ressaltou a variedade de professores com histórico na gestão cultural. “Temos professores da Unespar e outros docentes convidados de diversas regiões do Brasil, da Argentina e do Uruguai, todos habilitados em gestão cultural e prontos para receber os novos residentes”, salientou.


Durante o evento de integração, o cientista social Glauber Piva, que atua como professor convidado no Curso de Especialização em Gestão Cultural da Unespar, ministrou palestra sobre a importância da cultura como política pública estruturante de uma sociedade criativa. A palestra foi transmitida on-line, via plataforma digital, a partir de Salvador, onde ele reside.


Áreas

Nesta segunda edição, a Restec em Gestão Cultural contemplou profissionais das seguintes áreas: Administração; Arquitetura e Urbanismo; Artes; Artes Cênicas; Artes Visuais; Audiovisual; Biblioteconomia; Biologia; Ciências Contábeis; Ciências Sociais; Comunicação; Dança; Design Gráfico; Direito; Economia; Engenharia Civil; Física; Geografia; História; Jornalismo; Letras; Museologia; Pedagogia; Produção Cultural; e Teatro.


Além da Seti, Seec e Unespar, as atividades práticas serão desenvolvidas nas universidades estaduais de Londrina (UEL), de Maringá (UEM), de Ponta Grossa (UEPG), do Oeste do Paraná (Unioeste), do Centro-Oeste (Unioeste), do Norte do Paraná (Uenp).


Política Pública

Os programas de Restec são considerados política pública de Estado, com amparo na Lei 20.086/2019. Cada residente técnico recebe bolsa-auxílio mensal de R$ 2.375,00, mais auxílio transporte de R$ 220,00. Atualmente, são 1.170 residentes em 12 programas em áreas como Ciências Forenses, Cultura, Gestão Pública, Inovação, Meio Ambiente, Obras Públicas, Saúde Pública, Segurança Pública e Turismo. A duração é de dois anos.


Por AEN

Comments


bottom of page