top of page
  • Foto do escritorRedação

Academia de Letras lança 4ª edição do Projeto Crônicas dos Campos Gerais

Iniciativa de sucesso nos Campos Gerais, o programa tem como objetivo estimular a escrita regional e revelar novos escritores

Academia de Letras lança 4ª edição do Projeto Crônicas dos Campos Gerai. Foto: Assessoria de Imprensa

Novos autores da comunidade regional interessados em participar do projeto Crônicas dos Campos Gerais, desenvolvido pela Academia de Letras dos Campos Gerais (ALCG), já poderão enviar seus textos para a quarta edição do programa, conforme anuncia Douglas Passoni de Oliveira, coordenador da iniciativa.


Com a finalidade de estimular a escrita regional e revelar novos escritores, o projeto da ALCG convida interessados a conhecerem o regulamento para remessa de novos textos, disponível no blog https://cronicascamposgerais.blogspot.com/. “Os textos devem ser caracterizados como crônicas, isto é, relatos curtos de situações do cotidiano reais ou fictícias, com narrativas no âmbito da região dos Campos Gerais, que traduzam demarcação cronológica”, explica Douglas.


Com participação gratuita, a coordenação do projeto Crônicas dos Campos Gerais recebe trabalhos de autores com idade mínima de 16 anos, que deverão enviar seus textos com até 2500 caracteres.


Sucesso sem precedentes na história da Academia de Letras, o projeto Crônicas dos Campos Gerais, idealizado pelo acadêmico Mário Sérgio de Melo (Cadeira 7), teve sua primeira edição entre 2019 e 2020 e, até o momento, já selecionou 198 textos de autores de diversas cidades do Paraná, especialmente da região dos Campos Gerais, todos disponíveis no blog do projeto e em vários veículos parceiros da imprensa ponta-grossense e regional. Na terceira edição, realizada entre junho de 2022 e julho de 2023, foram recebidos 68 textos, de 29 autores diferentes, com destaque para a revelação de seis novos cronistas.


Para Douglas de Oliveira (Cadeira 8), “espera-se que os relatos promovam intercâmbio de sensações que instiguem a criação literária, a leitura e apoiem o envolvimento afetivo e participativo do cidadão com a região, reforçando a autoestima pátria e a mobilização para a melhoria da valorização e criação literária, da cultura e da qualidade de vida urbana/rural”.


Da Assessoria

Comments


bottom of page