top of page
  • Foto do escritorRedação

51º Fenata inicia programação oficial com abertura e “Moby Dick”

O Fenata chega em sua 51º edição, completa 50 anos em 2023 e se consolida como o evento mais longevo do Brasil

51º Fenata inicia programação oficial com abertura e “Moby Dick”. Foto: Divulgação/UEPG

O 51º Festival Nacional de Teatro (Fenata) realizou nesta sexta-feira (03) sua abertura oficial, que marcou o início da programação principal do tradicional evento. Organizado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o Festival contou com um cerimonial realizado pelos palhaços Tibúrcia e Madaleno e uma apresentação do espetáculo “Moby Dick e os Caçadores de Baleia”, da Cia de 2. O Fenata segue até quinta-feira (09).


O Fenata chega em sua 51º edição, completa 50 anos em 2023 e se consolida como o evento mais longevo do Brasil, criado e organizado pela UEPG. “A universidade pública não interrompe seus compromissos: mudam os gestores e ficam as atividades. O Fenata é o maior exemplo dessa permanência”, destaca o reitor da UEPG Miguel Sanches Neto. Esse comprometimento de gerações com a mesma causa é uma das marcas da universidade pública, ressalta o reitor.


A ligação entre o Festival e a história da UEPG também esteve presente na fala da pró-reitora de Extensão e Assuntos Culturais, Beatriz Gomes Nadal, “Falar do Fenata é falar da história da UEPG. Um dos princípios da Universidade é a valorização da cultura e alcançar a sociedade. Promover teatro é isso”, diz a pró-reitora. “O teatro é um trabalho coletivo, é uma homenagem à imaginação e à resiliência”, soma.


A noite marcou a abertura oficial do Festival, que iniciou em 26 de outubro, com uma programação prévia. “Hoje fazemos a abertura, mas já tivemos mais de 30 apresentações prévias, na Carreta Sesi, na Mostra Especial e no Ciência em Cena”, explica o diretor de Assuntos Culturais Nelson Silva Júnior. “Nós já estamos no ritmo do teatro”.

51º Fenata inicia programação oficial com abertura e “Moby Dick”. Foto: Divulgação/UEPG

Uma palhaçada sem tamanho

Não foi difícil colocar o público no ritmo do teatro: a noite iniciou com uma recepção muito especial dos palhaços Tibúrcia e a Madaleno (interpretados por Micheli Vaz e Bruno Madalozo), os mestres de/sem cerimônia do Fenata. Com muita brincadeira e descontração, eles apresentaram algumas da mudanças no Festival, como a curadoria focada em palhaçaria nessa edição.


“Temos que trazer essa linguagem [da palhaçaria], que tá um pouco mais voltada para o periférico, para aquilo que a gente não assiste tanto, que é o teatro de rua. Acho que trazer isso para dentro dos espaços e levar isso para a população é incrível”, comenta João Henrique Schiavo, cujo riso chamou atenção de Tibúrcia e Madaleno durante a abertura. “Espero que seja uma edição incrível igual a todas as outras”, adiciona.


O sentimento é compartilhado por Lucilea Kalva, que, junto com o marido José Siderlei, levou o filho à abertura. “Eu espero que o Fenata seja um sucesso, como todo ano, e que mais e mais pessoas possam participar. Trazer meu filho ao teatro é uma forma também de trazer ele para educar ele na arte. Isso é muito importante: estar junto com a família e fazer parte desta edição”, considera.

51º Fenata inicia programação oficial com abertura e “Moby Dick”. Foto: Divulgação/UEPG

Homenagem

Tibúrcia e Madaleno também conduziram uma homenagem aos membros da comunidade teatral que nos deixaram no último ano. A primeira homenagem foi para Max Reinert, ator e diretor da Téspis Cia. de Teatro, que trouxe oito espetáculos em seis edições do Fenata, entre 2004 e 2022. Reinert faleceu em 31 de julho, com 50 anos. Em seguida, também foi homenageado o renomado diretor Zé Celso, fundador do Teatro Oficina, que faleceu em 4 de julho. “Essas pessoas deixaram um caminho incrível no teatro brasileiro, e nós aqui no Fenata estamos plantando sementes para as próximas gerações do teatro”, dedicou Tibúrcia.


Programação e ingressos

A programação do Fenata continua neste sábado (04), com “Estorvos – Se essa rua fosse nossa”, às 10h, e “Motirõ”, das 11h às 13h, no Calçadão; uma oficina de audiodescrição no campus Central da UEPG, às 14h; “Pluft, o fantasminha”, às 15h, no Auditório da UEPG; “Olirrô, o pintor”, às 17h, no Sesc Estação Saudade; “Grand Circo Stopim”, às 20h30, no auditório A do Cine-Teatro Ópera; e “A pena de Wilde”, às 22h, no auditório B do Ópera. A programação completa está disponível em uepg.br/fenata. A entrada é livre em todas as peças, exceto as realizadas no Ópera durante a noite. Nessas, o ingresso custa 20 reais a inteira e 10 reais a meia. A venda acontece na bilheteria do teatro e inicia 30 minutos antes da peça.


O Fenata

O 51º Fenata é realizado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Institucional, Científico e Tecnológico (Fauepg); tem patrocínio da Itaipu Binacional, do Serviço Social da Indústria (Sesi), da Belgotex do Brasil e da Unimed Ponta Grossa; e conta com o apoio da Secretaria Municipal de Turismo de Ponta Grossa, do Conselho Municipal de Turismo de Ponta Grossa (ComturPG), da Secretaria Municipal de Cultura de Ponta Grossa, da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio) e do Serviço Social do Comércio (Sesc) e promoção da RPC.

Fotos: Aline Jasper, Domitila Gonzalez, Jéssica Natal


Da Assessoria

Comments


bottom of page