top of page
  • Foto do escritorRedação

Sesc premia escolas municipais no Programa ‘Aqui o mosquito não entra’

Ponta Grossa foi a cidade da região que mais registrou eliminações de focos, seguida de Piraí do Sul e Sengés, entre 19 cidades da área de atuação do SESC Ponta Grossa

Sesc premia escolas municipais no Programa ‘Aqui o mosquito não entra’. Foto: Divulgação

O Serviço Social do Comércio (Sesc) premiou nesta quarta (30) alunos e escolas pela participação no Programa ‘Aqui o mosquito não entra’, realizado pela entidade em parceria com as prefeituras da região. Na ação, alunos e comunidade são estimulados a fotografar, eliminar os focos do mosquito da dengue e registrar a ação em um aplicativo. Os participantes mais ativos recebem o reconhecimento do Sesc.

Ponta Grossa foi a cidade da região que mais registrou eliminações de focos, seguida de Piraí do Sul e Sengés, entre 19 cidades da área de atuação do SESC Ponta Grossa. Também foi premiada a Escola Municipal José Bonifácio Guimarães Vilela, como 2º lugar na categoria Equipe e a aluna Marcela Fogaça, do 4º ano da Escola Municipal Adelaide Thomé Chamma, como 3º lugar na categoria Público em Geral.

A prefeita Elizabeth Schmidt recebeu o troféu de cidade campeã na eliminação dos focos do mosquito – em 2022, Ponta Grossa foi a segunda colocada. Ela destacou a importância do apoio prestado pela entidade e pelas escolas. “Embora nossos números em relação à dengue não sejam tão elevados, é de extrema relevância atuar de maneira preventiva. Ainda mais quando trabalhamos com as crianças, porque estamos também ajudando a desenvolver cada um deles. Os professores transformam os seus alunos e tudo fica melhor quando há um incentivo como este realizado pelo SESC, premiando quem merece”, comentou a prefeita.


Bruna Paulovski de Almeida, gerente executiva do SESC Ponta Grossa, conta que a parceria é fundamental para o sucesso do projeto. “Foi fundamental a parceria com as lideranças municipais, com destaque para a Secretaria Municipal de Educação de Ponta Grossa, que incentivou as escolas a participar. De maneira lúdica, encarando como brincadeira, as crianças eliminaram vários focos do mosquito. Todos os municípios estiveram engajados contra o Aedes”, observou.

A secretária de Educação, professora Simone Pereira Neves, destacou o trabalho de professores e alunos. “Existem parcerias que funcionam de maneira muito eficiente junto ao nosso currículo, e o combate à dengue é uma delas. Nossos professores e alunos, uma vez incentivados pelas diferentes propostas, encaram com responsabilidade e oferecem grandes resultados para a comunidade”, afirma a secretária.

Fotos: Divulgação


“Cãominhada cidadã”

A região central terá menos mosquitos nas próximas semanas, graças à “cãominhada” da aluna Marcela Fogaça, de seus pais e dos cães Sky (vira-latas), Kyra (labradora), Ted (fila brasileiro) e Luna (golden retriever). Isso porque, a cada passeio com os animais, a estudante registrava e neutralizava cerca de 30 focos do mosquito. “Foram quase 200. Toda vez que a gente saía para passear, eu levava uma sacola, tirava foto do foco do mosquito, depois guardava e tirava outra foto. Espero que todas as crianças que forem passear com os cachorros ou com a mãe, possam fazer isso. Vai ajudar muito a cidade de Ponta Grossa e o Paraná a ter menos mosquitos”, conta a aluna.


Ajuda da população

No dia a dia da Saúde, os agentes de combate a endemias atuam na neutralização de focos do mosquito Aedes Aegypti, em conjunto com a orientação dos agentes comunitários de saúde, para a extinção de todo possível reservatório que possa servir para a reprodução do incômodo inseto. Mesmo assim, a presidente da Fundação Municipal de Saúde, Juliane Dorosxi, entende a participação da população como essencial.

“Para nós da Fundação é muito importante esse suporte para a conscientização da população. E sempre, através das crianças e da educação, a gente vê que faz uma grande diferença. O combate à dengue está sempre em nosso radar e esta ação é um apoio para nossas equipes. A saúde não é feita somente pelos seus profissionais, mas passa também pela formação e conscientização da população, agindo imediatamente para controlar os possíveis focos”, enfatiza a presidente.


Da Assessoria

Comments


bottom of page