• Redação

Projeto leva oficinas de fotografia e escrita para jovens da Vila Nova

Ao longo do ano, jovens de 14 a 18 anos participarão de 30 oficinas teórico-práticas semanais

Projeto leva oficinas de fotografia e escrita para jovens da Vila Nova em Ponta Grossa. Foto: Divulgação

Neste último sábado, cerca de 20 jovens da Vila Nova iniciaram uma jornada que busca conhecer, retratar e ressignificar a comunidade a partir da literatura e da fotografia. É o projeto Novos Olhares, realizado pela produtora cultural Ana Istschuk, em parceria com a ABC Projetos Culturais e apoiado através do Programa Municipal de Fomento e Incentivo à Cultura (Promific) pela Belgotex do Brasil, Mercadomóveis, e Prestes Construtora.


Ao longo do ano, jovens de 14 a 18 anos participarão de 30 oficinas teórico-práticas semanais. “Nessas ações formativas trabalharemos a produção literária e a produção fotográfica, numa perspectiva de gerar produções onde os alunos possam retratar sua própria comunidade”, afirma a jornalista e diretora da ABC Projetos, Alessandra Bucholdz.


Ela lembra que na maioria das vezes em que aparece em noticiários a comunidade é retratada a partir de olhares externos e quase nunca em abordagens favoráveis. “Queremos romper com esse ciclo, trabalhar com a autoestima das pessoas e que a comunidade passe também a ser vista e considerada a partir de olhares de gente de lá, que expresse sua cultura e suas particularidades”.


A produtora cultural Ana Istschuk explica que as produções do projeto visam oferecer tanto um novo olhar sobre a comunidade para os ponta-grossenses quanto fortalecer o sentimento de pertença dos moradores da própria Vila Nova através da autorrepresentação nas fotos e textos. “A nossa ideia é circular pela cidade com uma exposição fotográfica itinerante e também disponibilizar um e-book gratuito com textos produzidos pelos participantes do projeto; já dentro da comunidade a gente produzirá a colagem das fotografias com a técnica lambe-lambe e também fará a distribuição de fanzines com os textos”, comenta a proponente do projeto.


A equipe também é formada pelo professor Carlos Fabrício Havrechaki, que ministra as oficinas de escrita; pelo fotógrafo Maykon Cristiano Lammerhirt, que ministra as oficinas de fotografia; pela assistente social Maria Czekalski, que fará o acompanhamento do projeto; e pela Maria da Luz da Silva, moradora da comunidade e monitora do projeto, que articula a formação das turmas e faz a ponte entre os moradores e os professores e coordenadores do projeto.


Da Assessoria