top of page
  • Foto do escritorRedação

Espetáculo “Homem ao Vento” tem sessões lotadas em Telêmaco Borba

Foram três sessões na quarta-feira (31), às 20h, e quinta-feira (01), nos horários das 13h30 e às 20 horas

Espetáculo “Homem ao Vento” tem sessões lotadas em Telêmaco Borba. Foto: Divulgação

O Teatro Maestro Sirinho, do Centro Cultural Eloah Martins Quadrado (Casa da Cultura), recebeu, nos dias 31/5 e 1/6, um total de 450 pessoas para assistir o espetáculo “Homem ao Vento”, vencedor do Prêmio Shell na categoria Melhor Dramaturgia.


A peça “Homem ao Vento” é um projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice), da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Paraná, e conta com apoio da Copel e a Prefeitura de Telêmaco Borba, por meio da Secretaria da Cultura, Esporte e Recreação (SMCER).


Foram três sessões na quarta-feira (31/5), às 20h, e quinta-feira (1/6), nos horários das 13h30 e às 20 horas. Houve ainda uma oficina teórica destinada a professores da rede pública, educadores e estudantes de pedagogia, visando oferecer uma aula de aperfeiçoamento em teatro e em arte contemporânea.


De acordo com Elyson Gomes da SMCER, as três sessões tiveram lotação máxima, uma vez que cada uma delas tinha capacidade para 150 espectadores. “Agradecemos a parceria com a Secretaria Municipal de Educação que mobilizou mais de 60 professores para uma oficina e para o espetáculo, o Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja), o Centro de Convivência da Criança e da Juventude (CCAJ) e Apae.


“Homem ao Vento”

O espetáculo do dramaturgo e diretor Marcos Damaceno coloca o espectador em uma sala de ensaios. No espaço nove atores tentam entender e dar andamento aos ensaios de uma peça melancolicamente cômica, repleta de confusões e perturbações próprias da mente do homem contemporâneo.


As relações aparentemente caóticas entre os personagens - e mesmo entre os atores - vão se transformando no decorrer da peça, revelando universos complexos entre pai, mãe e filho, homem e mulher, homem e menino, vida e arte, o amor e a morte, a ordem e o caos, a realidade e a imaginação.


A montagem, dirigida por Damaceno junto com a atriz Rosana Stavis - atriz frequentemente apontada pela crítica especializada e por profissionais diversos como uma das melhores atrizes do teatro brasileiro - segue características comuns aos trabalhos da Cia. Stavis-Damaceno, como o impacto quase que exclusivamente pela força do elenco e das palavras e a encenação de peças que têm a mente como protagonista ou lugar de ação.

Foto: Divulgação

Da Assessoria

Comentarios


bottom of page