• Amanda Stefaniak

Projeto de PG busca incentivar a leitura

O projeto Bando da Leitura irá oferecer uma oficina especial para quem tiver interesse em aprender o método japonês de contação de história, chamado Kamishibai

Lucélia Clarindo, criadora do Projeto Bando da Leitura, um incentivo de leitura para a comunidade. Foto: Mayara Mirante

Origem do projeto ‘Bando da Leitura’

Lucélia Clarindo é licenciada em Pedagogia e especialista em Contação de Histórias e Literatura. Além disso, é idealizadora do Bando da Leitura um projeto de estímulo a leitura por meio das linguagens da Arte, há quatorze anos.


A pedagoga sempre incentivou seus alunos a lerem e contarem histórias. E foi exatamente com esse propósito que criou o Projeto Bando da Leitura, que nasceu de pequenas reuniões e hoje tem cerca de 30 participantes. “Depois de aposentada, criei um grupo de leitura em minha casa e o resultado foi este projeto, que está vivo até hoje”, conta.


Mas o trabalho de uma contadora de história deve ser executado com muita ética e, segundo Lucélia, com muita organização. “Funciona com muito estudo, logística, pesquisa, leitura, preparo de apresentação e repertório e forma de contar. Tudo para que o ouvinte consiga compreender o conteúdo da história contada”, afirma Lucélia.


Conheça a contadora de história Priscila Max

Atualmente devido a Pandemia os encontros do Bando da Leitura são feitos na forma virtual pela plataforma Meet, o que possibilitou a parceria com a hispano-brasileira Priscila Max, que mora na cidade de La Coruña – Espanha há 25 anos.

A contadora de histórias: Priscila Max. Foto: Reprodução Redes Sociais.

Priscila é formada em Educação Social e também é contadora de histórias do RIC (Red Internacional de Cuentacuentos - Rede Internacional de Contadores de Histórias). E foi assim que conheceu o Kamishibai, uma ferramenta poderosa que leva as sessões de contação para outro nível. “Vários participantes se interessaram muito quando apresentei o Kamishibai e após a maratona, comecei a receber muitos pedidos para ensinar essa técnica, pois o material em português era muito escasso”, explica Priscila.


Para acessar o curso PRO de Priscila clique aqui


Sobre o método Kamishibai

É uma técnica milenar e cheia de detalhes, a palavra Kamishibai significa "arte dramática no papel" em japonês e é uma das formas mais populares de contar histórias. O butai (teatro de madeira) e as histórias divididas em folhas impressas nas duas faces, ajudam a conseguir um efeito mágico em torno da narração da história. No curso ministrado por Priscila, você aprende a fazer um butai de material reciclado, mas, também terá dicas de butais feitos em outros materiais.


O método milenar de contação de histórias, chamado Kamishibai. Foto: Reprodução

Oficina – Uma parceria entre o Bando da Leitura e Priscila Max

A parceria entre o projeto Bando da Leitura e Priscila resultou na criação de uma oficina diferenciada, aberta ao público, para que a contadora de história possa compartilhar seus conhecimentos, mesmo à distância.


A oficina, ainda sem data determinada, acontecerá em outubro para homenagear o mês das crianças. Terá a participação especial de Priscila com duas histórias utilizando o método japonês, em que a contadora irá apresentar para as crianças e para o público interessado em conhecer mais seu trabalho. Para participar dessa oficina, basta solicitar o link no email: bandodaleitura@gmail.com


Os encontros do Bando da Leitura são semanais e acontecem toda sexta-feira, às 15 horas, via Google Meet. Para participar e buscar mais informações contacte o número: (42) 999726424