• Redação

Dia do Cinema Brasileiro: Veja a lista de grandes filmes nacionais

Data comemorativa ficou marcada para o dia 19 de junho como referência às primeiras imagens gravadas no Brasil

Em 19 de junho do ano de 1898, Segreto filmou a Baía da Guanabara, quando estava a bordo do navio Brèsil. Foto: Reprodução



O Dia do Cinema Brasileiro é celebrado neste domingo (19). A data faz referência às primeiras imagens gravadas no país por Afonso Segreto (1875 - 1919), no Rio de Janeiro. Em 19 de junho do ano de 1898, Segreto filmou a Baía da Guanabara, quando estava a bordo do navio Brèsil. Ele voltava da França, onde aprendeu técnicas de filmagem.


O feito fez com que o dia 19 de junho se transformasse no Dia do Cinema Nacional. Outra data também é comumente celebrada pela sétima arte, o 5 de novembro (em 1896, houve a primeira exibição pública). As históricas filmagens de junho de 1898 inspiraram o pioneiro para o documentário A Praia de Santa Luzia, realizado em parceira com o irmão dele, o empresário Paschoal Segreto.


Dentre os filmes que marcaram o cinema brasileiro, estão desde os títulos clássicos, como "O pagador de promessas", aos mais recentes, como "Medida provisória". Vale lembrar também dos que marcaram gerações, como "Central do Brasil", que chegou a concorrer ao Oscar de melhor filme internacional. O longa ainda rendeu a disputa da estatueta de melhor atriz para Fernanda Montenegro.


Central do Brasil (1998)

Foto: Divulgação

O filme narra a história de uma ex-professora que ganha a vida escrevendo cartas para pessoas analfabetas sem nunca enviá-las pelo Correio, ficando com o dinheiro para si. Ela então se encontra com Josué, filho de uma de suas clientes, em uma viagem pelo interior do Nordeste para tentar encontrar o pai do garoto após a morte da mãe.


Cidade de Deus (2002)

Foto: Divulgação

Buscapé é um jovem negro e pobre morando na favela carioca de Cidade de Deus que descobre ter um talento para a fotografia. Através da história de vida do garoto, os diretores Fernando Meireles e Kátia Lund contam uma história cotidiana do Rio de Janeiro, apresentando ao espectador, também, as características da violência no local.


O Auto da Compadecida (2000)

Foto: Divulgação

Filme adaptado da peça de Ariano Suassuna, a comédia conta as aventuras de João Grillo e Chicó, que vivem de pequenos golpes para viver no sertão nordestino. Cheio de referências sacras, a trama muda com a aparição de um cangaceiro na cidade, além da aparição de Nossa Senhora.


Carandiru (2003)

Foto: Divulgação

Dirigido por Héctor Babenco, Carandiru se baseia no livro "Estação Carandiru", do médico Drauzio Varella, para mostrar a dura realidade em um dos presídios mais famosos do Brasil, localizado em São Paulo.

Tropa de Elite (2007)

Foto: Divulgação

Sucesso do final da primeira década dos anos 2000, o filme do diretor José Padilha conta a história do capitão Nascimento, do Bope, e aproveita para fazer diversas reflexões sobre o conflito entre estado e população, passando pelo tráfico de drogas, corrupção e violência urbana no Rio de Janeiro.


Que horas ela volta (2015)

Foto: Divulgação

O drama protagonizado por Regina Casé conta a história de Val, que se mudou de Pernambuco para São Paulo, para trabalhar como empregada doméstica. Quando a relação da Val começa a ficar complicada com os chefes, o longa traz diversas reflexões sobre classes e outras condições da sociedade brasileira.


Bacurau (2019)

Foto: Divulgação

Aclamado pelo público, Bacurau conta a história, em um futuro distópico, de uma cidade no interior do setor nordestino que precisa resistir ao ataque de um grupo de estrangeiros. O longa mostra uma história de resistência recheado de referência da cultura da Região e traz atores conhecidos do público, como Silvero Pereira.

Hoje quero voltar sozinho (2014)

Foto: Divulgação

O filme acompanha a descoberta de Leonardo, um adolescente cego, que se apaixona por colega de classe, e mostra a evolução do personagem ao questionar a própria sexualidade. O longa foi escolhido o melhor da mostra Panorama do Festival de Berlim.


Por Diário do Nordeste