• Redação

"Piá de Vila" traz FBC para Ponta Grossa

"Padrim" vem à cidade para lançar o novo álbum, 'Baile', que viralizou no TikTok e chegou ao top 20 no mundo por uma semana no Spotify

Destaque da nova safra do rap nacional, FBC se apresenta em Ponta Grossa. Foto: Divulgação

No dia 8 de janeiro de 2022, acontece em Ponta Grossa a primeira edição do Baile de Vila, um evento realizado pela Piá de Vila Produções em parceria com o Kingston Pub. A primeira atração confirmada é o rapper mineiro de Fabricio FBC, de Belo Horizonte. As demais apresentações ainda serão confirmadas pela organização. Os shows começam às 22h, na casa de show Artigo 10 Club, localizada próximo à pista de skate da Avenida dos Vereadores, no bairro de Oficinas. Os ingressos estão disponíveis através da plataforma Sympla a partir de R$ 40 [inteira] e R$ 20 [meia] mediante doação de um quilo de alimento (compre aqui).


O Baile de Vila é um evento que tem como objetivo trazer grandes nomes do cenário nacional hip-hop da atualidade e, em contrapartida, fortalecer o cenário regional com apresentações de abertura de artistas locais.


A primeira atração confirmada é Fabricio FBC, também conhecido como “PADRIM”. Criado nas batalhas de rima de Belo Horizonte, FBC é um artista com 16 anos de vivência no hip-hop. Fundou a célebre DV Tribo, junto com Djonga, Clara Lima e Coyote Beatz. Dividiu os palcos com Djonga durante as turnês dos discos Heresia e O Menino Que Queria Ser Deus, de 2017 a 2019.


No mesmo período, FBC alcançou notoriedade nacionalmente com o "Poetas no Topo", seguido pelo lançamento do seu primeiro álbum de estúdio, S.C.A., eleito um dos cinco melhores álbuns brasileiros de 2018 em votação promovida pela Red Bull. Divulgando o seu segundo trabalho, Fabricio engajou artistas e marcas a postarem a data de lançamento (15/11) em seus perfis. Produzido em 2019 pelo multi instrumentista Go Dassisti, PADRIM alcançou o disco de ouro em 2021.


Seu novo álbum, Baile, retrata a década de 90, quando os raps e melôs evidenciavam o cotidiano dos moradores dos subúrbios, abordando temas como a violência e a criminalização dos jovens. Nesse momento, o hip-hop produzido inicialmente nos Estados Unidos é nacionalizado, ressignificado e disseminado como funk carioca. O ritmo se inspira no miami bass, que não é focado em problemas sociais. O primeiro contato entre esses estilos musicais se deu através dos bailes de música black, soul e funk. Com a multiplicação desses bailes, o miami bass foi adotado pelos frequentadores como o estilo musical local.


Preocupados com as questões sociais que sempre tiverem atreladas ao verdadeiro movimento hip hop, a organização pretende arrecadar 600 quilos de alimentos a serem destinados ao projeto Gueto em Movimento. Mais informações sobre o baile podem ser obtidas pelas redes sociais da Piá de Vila Produções (Facebook, Instagram) e do Kingston Pub (Facebook, Instagram). O Baile de Vila tem o apoio do Artigo 10 Club, Loja New Era PG e Bona Park.


Da Assessoria