• Redação

UEPG lança Ambulatório de Saúde Integrativa

No evento online, que aconteceu por meio da plataforma Google Meet, participaram cerca de 160 pessoas

UEPG lança Ambulatório de Saúde Integrativa. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Universidade Estadual de Ponta Grossa lançou nesta quinta (28) o Ambulatório de Saúde Integrativa (ASI-UEPG). No evento online, que aconteceu por meio da plataforma Google Meet, participaram cerca de 160 pessoas.


O evento abordou a saúde integrativa, o impacto da arte e do bom humor na saúde, a importância do perdão, e uma apresentação de como funcionará e das atividades do ambulatório. “Foi uma experiência muito bonita, um evento que teve uma repercussão bastante positiva”, avaliou a chefe do ambulatório, Milene Zanoni.


Um evento transformador, que trouxe tranquilidade mental, paz, serenidade, esperança, acolhimento, reflexão. As palavras utilizadas nas respostas dos participantes, em um questionário online, deixam claro o impacto positivo dos temas abordados. “O auto conhecimento é necessário para que tudo possa fluir bem em nossa vida, o evento propiciou um conhecimento novo de mim, algo que eu não havia pensado e refletido antes”, agradeceu a participante Bruna Souza.


Participaram do evento o professor Gilmar Mazurek, pró-reitor de Recursos Humanos da UEPG; Jeverson Machado do Nascimento, diretor de Qualidade de Vida no Trabalho; Eduardo Pereira, prefeito do Campus; além de servidores e alunos da Universidade. As facilitadoras Milene Zanoni e Cleunice Souza abordaram o lançamento do Ambulatório e mediaram as falas de Caio Fábio Schlechta Portela, vice-presidente do Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integrativa e presidente da Sociedade Brasileira de Naturologia; Vanessa Ratuchenei, médica de Saúde da Família e idealizadora do projeto Saúde do Perdão; e Micheli Vaz e Bruno Madalozo, artistas profissionais e fundadores da ONG Doutores Palhaços SOS Alegria


Saúde Integrativa

A criação do Ambulatório de Saúde Integrativa em uma Universidade é inovadora no cenário brasileiro. O espaço promove o autocuidado e bem-estar integral, através de atendimentos psicológicos, rodas de terapia comunitária integrativa e outras complementares, como acupuntura, auriculoterapia e florais. Como explica a professora Milene, a saúde integrativa contempla uma perspectiva ampliada da saúde das pessoas e dos recursos que têm a potência de restaurar e promover a saúde. “O ambulatório tem uma perspectiva de trabalhar com saúde planetária, em que todos estamos interconectados uns com os outros e precisamos dar as mãos e produzir novos modos de viver, de nos relacionar e de produzir saúde”.


“Nesse tempo de pandemia, mudou a rotina, a vida, mudaram as relações, a forma como a gente trabalha, se comunica, como vive e a consequência desse processo pandêmico é de um aumento exorbitante no número de pessoas em sofrimento mental e com transtornos mentais”, relata a professora. São utilizados recursos terapêuticos comprovados cientificamente, que têm foco especial no cuidado em saúde mental das pessoas. “O ambulatório vai trazer o que temos em tecnologia em saúde de ponta e tecnologias leves que se pautam nas inter-relações, na criação de vínculos terapêuticos, na conexão, com impacto direto na promoção da autoestima, na promoção da resiliência comunitária, na criação e fortalecimento de vínculos positivos saudáveis, e na promoção da saúde, efetivamente, pensando em uma forma ampliada”.


Para entrar em contato com o Ambulatório de Saúde Integrativa, estão disponíveis os telefones (42) 3220-3744 e (42) 2102-8916.


Fonte: Assessoria