• Redação

UEPG investe R$1.8 milhão em Complexo de Laboratórios

O prédio tem sua área distribuída em dois pavimentos, com 1000m² no total

UEPG investe R$1.8 milhão em Complexo de Laboratórios de Engenharias de Materiais. Foto: Jéssica Natal

O dia 7 de março simboliza dois marcos para Universidade Estadual de Ponta Grossa UEPG). Além do retorno das aulas teóricas presenciais, aconteceu a inauguração dos Laboratórios do curso de Engenharia de Materiais (Dema), na manhã desta segunda-feira. O prédio abriga laboratórios de ensino, informática e pesquisa, salas de aula, salas de professores e auditório, com investimento total de R$ R$ 1.857.380, 21.


Para o reitor da UEPG, professor Miguel Sanches Neto, o novo prédio do curso de Engenharia de Materiais é uma demanda histórica, e o curso tinha a necessidade de expandir o laboratório. “Esta inauguração é muito importante para nós, pois fortalecerá os cursos de graduação e pós-graduação, a prestação de serviço e a Universidade poderá participar de editais nacionais”.


O prédio tem sua área distribuída em dois pavimentos, com 1000m² no total. Em 2012, os docentes do Dema realizaram um planejamento estratégico sobre os gargalos que poderiam dificultar a continuidade do crescimento do curso. Segundo o coordenador da Pós-Graduação em Engenharia de Materiais, Benjamim de Melo Carvalho, no planejamento houve a prioridade de ampliar a área física do Departamento, considerando três importantes aspectos: “Implantação do curso de Doutorado em Engenharia e Ciência de Materiais, ampliação de 40 para 50 vagas no curso de graduação e o estabelecimento de parcerias para desenvolvimento de projetos de P&DI financiados por grandes empresas paranaenses/brasileiras”.


Desde então, a Pró-Reitora de Planejamento (Proplan) iniciou a elaboração do projeto, em parceria com os docentes do departamento de Engenharia de Materiais. Para Benjamim, ao cumprir os compromissos assumidos perante o Deputado, foi implantado o curso de doutorado em Engenharia e Ciência de Materiais, bem como houve ampliação de vagas no curso. “Os docentes do Dema estão desenvolvendo importantes projetos de P&DI, em parceria com empresas de Ponta Grossa, Campos Gerais e no Brasil”.


O novo laboratório beneficiará os docentes e discentes dos cursos de graduação e pós-graduação da Engenharia de Materiais. “A contribuição do departamento, tanto no ensino quanto na pesquisa, são imensuráveis. Podem-se citar desde a geração de patentes até a relevância internacional, com a participação e publicação de artigos em eventos internacionais”, relatou Andrea Tedesco, pró-reitora da Proplan.

Professores e alunos

De acordo com Oswaldo Cintho, coordenador do curso de Engenharia de Materiais, a inauguração do prédio representa o maior avanço do curso, em ternos de espaço físico, pois a área construída foi praticamente dobrada. “A inauguração da obra é uma etapa importante. No retorno às aulas teóricas presenciais, nós já estamos tendo aula no prédio e tivemos a primeira defesa de doutorado, estamos cumprindo o nosso compromisso”.


Para Maria Salete Marcon Gomes Vaz, Diretora do setor de Engenharias, Ciências Agrárias e Tecnologia, os espaços foram construídos com apoio de parceiros. “Já faz 10 anos desde que o projeto foi feito e agora a obra foi concluída. Isso é resultado do comprometimento e dedicação de toda a equipe”.


A professora, Adriana Scoton Antonio, atua no Departamento de Engenharia de Materiais desde 1993. “Eu vi o Dema crescendo e o prédio é um marco para nós, vai ser bom para os docentes e discentes da instituição”. O acadêmico Luiz Antônio Correia está no 3º ano do curso de Engenharia de Materiais e compartilha da mesma opinião. “Quando entrei na Universidade, a obra não tinha iniciado, e nós utilizávamos equipamentos mais antigos que estavam alocados em outro bloco. Estou satisfeito com o novo laboratório do curso”. O estudante de doutorado, João Paulo Gabre Ferreira, relatou sobre o comprometimento de uma pesquisa com equipamentos mais sofisticados. “Alguns deles, anterior a obra, estavam mal acondicionados e não dava para usar direito. Agora, com as novas instalações está bem melhor para desenvolver a pesquisa”.


Da Assessoria