• Redação

Setembro Amarelo: como identificar e auxiliar na prevenção de suicídios

A campanha de conscientização pela vida ganha força neste todo o mês de setembro

Setembro Amarelo: como identificar e auxiliar na prevenção de suicídios. Foto: Reprodução


Campanha de Prevenção ao Suicídio ocorre durante todo mês de setembro. Tania Cigolini, mestranda em psicologia e terapeuta familiar destaca importância da identificação e da informação para reduzir estigma e preconceitos relacionados ao tema.


A campanha de conscientização pela vida ganha força neste mês de setembro. Criada pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e endossada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo é chamar a atenção dos governos e da sociedade civil para a importância de falar sobre o assunto.


"O suicídio é um uma realidade que gera grandes prejuízos individuais e sociais. Na grande maioria das vezes, as partes envolvidas não percebem a complexidade de emoções em que o familiar ou amigo está vivenciando", revela Tânia, profissional que atende famílias e empresas em todo o país, e tem foco principal de atuação em Mato Grosso onde opera fortemente junto ao agronegócio, atendendo colaboradores de fazendas locais.


A sensação de impotência nos casos de suicídios e automutilação é presença marcante na vida das pessoas que circundam quem sofre com algum tipo de transtorno que pode levar ao suicídio. Tania Cigolini está envolvida em um intenso trabalho de avaliação e orientação realizando atendimentos individuais ou coletivos para auxiliar na identificação, e na condução de como precaver e o que fazer nestes casos complexos.


As fitas amarelas se tornaram o símbolo da campanha, que foi adotada em 2015 no Brasil pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Tânia Cigolini explica que a campanha é importante para reduzir preconceitos e conscientizar a população sobre os cuidados com a saúde mental - além de proporcionar a redução do estigma "por meio da informação responsável".


De acordo com a OMS, mais de 700 mil pessoas morrem por suicídio anualmente no mundo, sendo a quarta maior causa de óbitos entre jovens de 15 a 29 anos de idade. No Brasil são, em média, 14 mil suicídios por ano — cerca de 38 pessoas tiram a própria vida, por dia, no país.

Dados do Ministério da Saúde mostram que a taxa de mortalidade por suicídio entre os homens, em 2019, foi de 10,7 por 100 mil habitantes. Entre as mulheres, o índice ficou em 2,9 por 100 mil.


Ações pontuais indicadas pela terapeuta para ajudar as empresas a identificarem e combaterem a questão do suicídio entre os colaboradores:


1. Oriente seus colaboradores a fazer algumas pausas.

2. Cuide do Clima e da Cultura Organizacional.

3. Implemente uma ouvidoria interna.

4. Conscientize com as informações corretas.

5. Crie um programa de bem-estar.

6. Ofereça benefícios que cuidem da saúde e bem-estar


Da Assessoria