top of page
  • Foto do escritorRedação

Secretaria de Cultura de Ponta Grossa concorre a prêmio nacional

Pasta do Poder Executivo está participando do 'Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade'

Secretaria de Cultura de Ponta Grossa concorre a prêmio nacional. Foto: Divulgação

O Sistema de Informações do Patrimônio Cultural (SIPC-PG), desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG), concorre em etapa nacional do 'Prêmio Rodrigo Melo Franco Andrade' – edição 2022 – categoria pessoa jurídica. Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC), o sistema, que pode ser consultado clicando aqui, está entre os vencedores na região Sul. “Este é mais um trabalho desenvolvido pelos nossos servidores e que ganhou relevância nacional”, frisa a prefeita Elizabeth Silveira Schmidt (PSD).


Conforme o secretário municipal de Cultura, Alberto Portugal, o site foi construído e alimentado pelos próprios funcionários da Pasta e tem como objetivo democratizar o acesso a informações do patrimônio cultural de Ponta Grossa. “Pelo site, pode ser consultado um importante acervo de fotografias históricas, obras de arte, informações sobre os imóveis tombados e inventariados, textos de pesquisa, informações dos bens imateriais, entre outras”, destaca.


Prêmio

O 'Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade', que chega à sua 35ª edição, é promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A premiação reconhece, em nível nacional, ações de excelência para preservação e promoção do patrimônio cultural brasileiro.


Para a edição nacional, foram selecionadas pelas comissões regionais 50 ações, sendo dez em cada comissão regional, cinco em cada categoria (pessoa física e jurídica). Serão premiadas dez ações na etapa nacional, cinco em cada categoria.


O nome do Prêmio é uma homenagem ao advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade, nascido em 1898, em Belo Horizonte (MG). Entre 1934 e 1945, período em que Gustavo Capanema era ministro da Educação, Rodrigo integrou o grupo formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da 'Semana de 1922', quando se tornou o maior responsável pela consolidação jurídica do tema ‘patrimônio cultural no Brasil’. Em 1937, esteve à frente da criação do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan), atual Iphan, o qual presidiu por 30 anos.


Da Assessoria

コメント


bottom of page