top of page
  • Foto do escritorRedação

Psycho Carnival toma conta de Curitiba com Pisscharge e mais 38 atrações

Com apoio do Goethe-Institut, maior evento underground de psychobilly da América Latina reúne bandas nacionais e estrangeiras durante cinco dias

Psycho Carnival toma conta de Curitiba com Pisscharge e mais 38 atrações. Foto: Reprodução


Entre os dias 16 e 20 de fevereiro, Curitiba vai sediar a 22ª edição do Psycho Carnival, o maior festival de psychobilly da América Latina. O evento, que retorna à capital após dois anos de pandemia, vai trazer 39 bandas de cinco países diferentes para animar as noites da capital durante o Carnaval. Com apoio do Goethe-Institut, os destaques deste ano são as alemãs Pisscharge (com vocalista curitibana) e Damage Done by Worms.


Psycho Carnival

Apesar de ser conhecido pelo gênero psychobilly (combinação entre punk rock dos anos 70, rock e rockabilly de 1950), o Psycho Carnival também será palco para bandas de outros estilos underground como punk rock, outlaw country e surf music. Em média, serão sete shows por noite.


Entre os destaques do line-up nacional está o grupo paulista “Kães Vadius”, considerado um dos precursores do psychobilly no Brasil, e as bandas de punk rock “Os Replicantes” e “No Milk Today”, de Porto Alegre e Curitiba, respectivamente. Os tradicionais grupos curitibanos “Ovos Presley” e “Sick Sick Sinners” também marcarão presença no festival.


Damage Done by Worms

O público ainda poderá conferir oito bandas internacionais vindas da Alemanha, Chile, Países Baixos, Espanha e Colômbia, como os “Cowboys From Hell”, “Disturbance” e “Pisscharge”. Mas, de acordo com um dos organizadores do evento, Vladimir Urban, uma das maiores atrações do festival é o grupo alemão “Damage Done by Worms”, formado na metade da década de 1990 em Berlim. “Eles mesclam vários estilos e são uma referência muito grande dentro do psychobilly”.

“Ovos Presley” no Psycho Carnival de 2019. Foto: Reprodução


Psycho Carnival

Segundo Urban, o festival surgiu nos anos 2000 quando alguns amigos da cena do psychobilly da França vieram a Curitiba na época do Carnaval. “A cidade esvaziava bastante nessa época e aí, despretensiosamente, decidimos montar um festivalzinho”.


Aos poucos, o Psycho Carnival foi crescendo e ganhando adesão tanto do público quanto das bandas. Agora, depois de dois anos sem realizar o festival, Urban diz que as expectativas são grandes. “É uma retomada. O momento em que vamos nos reencontrar com o público para celebrar a amizade, a música, a cultura e o Carnaval também. Pode ser que o ritmo seja um pouco diferente, mas não deixa de ser uma festa que as pessoas gostam de fazer parte”.


Curadoria

Sobre a curadoria das bandas, Urban conta que existem quatro princípios que são importantes na hora de decidir a programação do festival: bandas ativas, oportunidade (grupos que já estejam vindo para o Brasil, por exemplo), resgates (trazer uma banda antiga que está sem tocar há um tempo, como aconteceu com o grupo “Os Baratas Tontas”) e bandas novas que estão surgindo.


“Nós [da organização do festival] temos experiência e participamos da cena muito ativamente, tocamos, fazemos turnê, recebemos e lançamos muito material. A edição deste ano está bem diversificada, o que promove esse intercâmbio cultural”, afirma Urban.

Show da banda “As Diabatz” no Psycho Carnival de 2017. Foto: Pri Oliveira

Goethe-Institut

Outra grande figura do festival é a banda “Pisscharge“, que tem integrantes alemães, chilenos e brasileiros. Formada em dezembro de 2017, na cidade de Hannover, o grupo usa a música para denunciar o que consideram ameaças ao planeta em seus diferentes aspectos. “É 100% punk político”, definem.


Segundo Urban, a presença da banda na capital paranaense só foi possível por causa do apoio do Goethe-Institut, parceiro do Psycho Carnival de outras épocas. Urban conta que a vocalista da “Pisscharge”, que é curitibana, entrou em contato com o Goethe-Institut de Munique, na Alemanha, dizendo ter interesse em participar do festival. O instituto, depois de contactar sua sede curitibana para ajustar os detalhes, topou custear a viagem do grupo para cá.


“[O apoio do Goethe] é uma demonstração de confiança. Para nós faz todo sentido essa parceria porque é muito importante essa política que possibilita a circulação de bandas e da própria cultura”, afirma Urban.

A banda alemã “Pisscharge” e a vocalista Kassandra. Foto: Reprodução

Shows gratuitos e workshops

Além da programação oficial que acontece no Jokers Pub, shows gratuitos ocorrerão em um palco montado nas Ruínas de São Francisco, no Largo da Ordem. As bandas curitibanas “Kráppulas” e “Cigarras” devem se apresentar lá.


E, no Teatro Universitário de Curitiba (TUC), o produtor visual e fotógrafo Cleiner Micceno irá ministrar um workshop de técnicas de gravação de vídeo com câmeras simples que será dividido em três dias (sábado, domingo e segunda), com cerca de três horas de duração cada sessão. Logo depois do workshop, entre 15h e 17h, haverá um bate-papo com a equipe do Goethe-Institut e com a banda alemã “Pisscharge”.


O workshop é gratuito, mas para participar é preciso entrar em contato com a produção do festival pelo e-mail psychocarnival2023@gmail.com para se inscrever.

Show do “Guanabatz” no Psycho Carnival de 2020. Foto: Reprodução

Psycho Carnival 2023

O Psycho Carnival acontece entre os dias 16 e 20 de fevereiro, no Jokers Pub. Os ingressos do festival estão à venda no Sympla a partir de R$ 120 (para um dia).


A seguir, confira a programação completa do Psycho Carnival.


Quinta-feira (16)

Jokers Pub – Noite do Esquenta

  • 20h – Cavaleiros Temporários (Curitiba)

  • 21h – Double Shot (Curitiba)

  • 22h – Hillbilly Rawhide (Curitiba)

Sexta-feira (17)

Jokers Pub – 1ª Noite

  • 19h às 19h30 – Vurtu (Piracicaba)

  • 20h às 20h35 – Cowboys From Hell (Colômbia)

  • 21h às 21h40 – Tampa do Caixão (Joinville)

  • 22h às 22h45 – Mongo (Curitiba)

  • 22h às 22h45 – 13 Bats (Espanha)

  • 00h às 00h45 – No Milk Today (Curitiba)

  • 01h às 02h00 – Replicantes (Porto Alegre)

Sábado (18)

Teatro Universitário de Curitiba (TUC)

  • 10h – Workshop sobre videoclipe com Cleiner Micceno

Cão Véio

  • 12h – Almoço de Confraternização

  • 15h – Eles Mesmos (Curitiba)

Janaíno Vegan

  • 15h – DJ Jeferson Red Star (São Paulo)

Lado B

  • 16h – Wi-Fi Kills (Curitiba)

Jokers Pub – Psycho Carnival 2ª Noite

  • 19h às 19h30 – The Edwoods (São Paulo)

  • 20h às 20h35 – Stompin’ Mutants (Londrina)

  • 21h às 21h40 – Sangue de Androide (São Paulo)

  • 22h às 22h45 – Church Of Confidence (Alemanha)

  • 22h às 22h45 – Frenetic Trio (Londrina)

  • 00h às 00h45 – Flicts (São Paulo)

  • 01h às 02h00 – Sick Sick Sinners (Curitiba)

Domingo (19)

Teatro Universitário de Curitiba (TUC)

  • 10h – Workshop sobre videoclipe com Cleiner Micceno

Ruínas do São Francisco

  • 11h – DJ Fabio Zanetti

  • 12h – Big Bull & His Selfish Band (Uberlândia)

  • 13h – Cigarras (Curitiba)

  • 14h – Kráppulas (Curitiba)

Esquenta no Janaíno Vegan

  • 15h – DJ Kelley Joy (Curitiba)

Tarde Lado B

  • 16h – Zabilly (Colombo)

Jokers Pub – Psycho Carnival 3ª Noite

  • 19h às 19h30 – Diablos Suicidas (Chile)

  • 20h às 20h35 – Run Devil Run (São Paulo)

  • 21h às 21h40 – Rat Demons (Colômbia)

  • 22h às 22h45 – Agrotóxico (São Paulo)

  • 22h às 22h45 – Disturbance (Países Baixos)

  • 00h às 00h45 – The Mullet Monster Mafia (Piracicaba)

  • 01h às 02h00 – Ovos Presley (Curitiba)


Segunda-feira (20)

Teatro Universitário de Curitiba (TUC)

  • 10h – Workshop sobre videoclipe com Cleiner Micceno

Esquenta no Janaíno Vegan

  • 15h – DJ Therencio (Rio de Janeiro)

Tarde Lado B

  • 16h – Resistentes (Rio Claro)

Jokers Pub – Psycho Carnival Última Noite

  • 19h às 19h30 – Psycho Daime (Curitiba)

  • 20h às 20h35 – Fish’n Creepers (Curitiba)

  • 21h às 21h40 – Pisscharge (Alemanha)

  • 22h às 22h45 – Billys Bastardos (Londrina)

  • 22h às 22h45 – Red Lights Gang (São Paulo)

  • 00h às 00h45 – Kães Vadius (São Paulo)

  • 01h às 02h00 – Damage Done By Worms (Alemanha)

Foto: Reprodução

Por Plural


Comments


bottom of page