• Redação

Picolé leva magia para portadores de necessidades especiais

A proposta é levar uma divertida apresentação sobre a magia do circo para portadores de necessidades especiais, pensando na integração e valorização deste público

Turnê do Palhaço Picolé leva magia do circo para portadores de necessidades especiais no Paraná. Foto: Divulgação

O Palhaço Picolé e sua trupe estão em turnê pelo Paraná com o espetáculo “O Circo Especial de Picolé”. A proposta é levar uma divertida apresentação sobre a magia do circo para portadores de necessidades especiais, pensando na integração e valorização deste público.

O projeto é aprovado no edital do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná (Profice), do governo do Estado, e conta com patrocínio da Copel. A direção circense é de Robert Salgueiro, direção de produção de Geovana Abreu Salgueiro e coordenação geral da ABC Projetos.


As apresentações tiveram início em abril, na cidade de Palmeira. Os artistas também passaram pelos municípios de Reserva, Irati, Jaguariaíva, Castro, Imbituva, Prudentópolis, Campina Grande do Sul, Matinhos, Lapa, Guaratuba, Pinhão, Medianeira, Guaíra, Laranjeiras do Sul, Quedas do Iguaçu e Piraí do Sul. Ao todo, Palhaço Picolé e sua trupe se apresentam em 20 entidades que atendem portadores de necessidades especiais no Paraná, atingindo cerca de duas mil pessoas até o mês de maio. O espetáculo ainda passará pelas cidades de Ivaiporã, Ibiporã e Santo Antônio da Platina.


O espetáculo acontece nas próprias entidades de atendimento ao público, que já estão preparadas para atender as demandas de mobilidade. Os artistas adequam as performances para que a experiência seja integral a todos, independentemente de o público ser formado por pessoas com deficiência auditiva, física ou visual. A peça tem duração de aproximadamente 60 minutos.


“Está sendo incrível, estamos encontrando bastante acolhimento e receptividade, além de gratidão. Pois ao final de cada apresentação as diretoras ficam extremamente agradecidas, inclusive já solicitando nosso retorno”, afirma Robert Salgueiro, protagonista da peça e que dá vida ao Palhaço Picolé.


O artista, que nasceu no circo, atua há vinte anos como palhaço. Há oito anos tem se dedicado a apresentações específicas aos portadores de necessidades especiais. “As apresentações têm um impacto social de grande importância, proporcionando saúde mental, inclusão social e acessibilidade para o público especial, melhorando a auto estima e a qualidade de vida das pessoas, através de um humor sadio. Além disso, também proporciona alegria para a comunidade escolar, não somente para os alunos, mas para toda a equipe técnica, pedagógica e colaboradores”, relata.


Sinopse

Na peça, Picolé, um palhaço atrapalhado, conta com o apoio do público para conseguir um emprego no circo. E é com a ajuda desses novos amigos que ele aprende a andar em monociclo e a fazer malabares. Ao mesmo tempo que aprende, ele também ensina aos espectadores mágicas, malabares e outras modalidades circenses.


Através de muita brincadeira, o público é convidado a conhecer a arte do circo, interagir no palco com Picolé e sua trupe e ainda cantar com os artistas a canção do projeto. Para Robert, a mensagem do projeto está no poder da amizade para construir um mundo melhor. “No nosso espetáculo todos podem ser protagonistas juntamente com os personagens do show, participando, interagindo e se divertindo”, ressalta.


Da Assessoria