• Redação

Pesquisadores da UEPG participam do 1º Simpósio Interamericano

O evento acontece de modo híbrido, com apresentação de trabalhos e mesas redondas, e é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas da UEPG

Pesquisadores da UEPG promovem 1º Simpósio Interamericano Perspectivas sobre Alimentação. Foto: Fábio Ansolin

Pesquisadores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), pertencentes ao Núcleo de Pesquisa Questão Ambiental, Gênero e Condição de Pobreza, participam, dias 30 e 31 de agosto, do 1° Simpósio Interamericano Perspectivas sobre Alimentação. O evento acontece de modo híbrido, com apresentação de trabalhos e mesas redondas, e é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas da UEPG.


A alimentação é um direito humano fundamental. Para a coordenadora do evento, professora Mirna de Lima Medeiros, o evento acontece de forma interdisciplinar para possibilitar ampla adesão de estudiosos e interessados, assim como gestores públicos e privados. “O tema pode ser estudado sob diferentes perspectivas que se complementam e se enriquecem. Desse modo, espera-se que o Colóquio propicie o debate com relação à alimentação sob diferentes olhares, desde componente da cultura até direito a ser garantido”, ressalta.


A professora relembra que uma das questões objeto de pesquisa do Núcleo Questão Ambiental, Gênero e Condição de Pobreza é a da segurança alimentar. “Disponibilizamos os relatórios publicamente e conversamos com o poder público. Essas ações já culminaram em mudanças de programas públicos municipais, mas ainda demandam muita atenção e debate”, frisa. O que comemos reflete em questões sociais e ambientais que carecem de investigação e reflexão, conforme Mirna. “Debater esse tema no âmbito das Ciências Sociais é veemente, seja para compreensão dos fenômenos atuais, seja para propositura de alternativas e embasamento de políticas e programas relacionados à alimentação”, completa.


Chamada de trabalhos

Estudiosos que desejem inscrever artigos no evento devem ter trabalhos centrados na segurança alimentar ou na valorização alimentar; práticas e políticas de segurança alimentar ou soberania alimentar; hábitos alimentares e mudanças devidas a contextos sociais, econômicos, políticos ou relacionados com a saúde, como a pandemia da Covid-19. Serão aceitos artigos em português, espanhol ou inglês, que enfoquem tanto aspectos teóricos como análises empíricas de casos particulares, a partir de abordagens analíticas, de diagnóstico ou proposicionais. Cada trabalho pode possuir até 5 autores e as inscrições ficam abertas de 15 de julho a 15 de agosto.


Informações sobre programação e normas de apresentação dos trabalhos estão no site do Programa aqui.


Da Assessoria