top of page
  • Foto do escritorRedação

Mupa promove oficinas e visitas mediadas às exposições

Entre as ações propostas, o público poderá participar de visitas mediadas com a equipe do Educativo na mostra Mejtere: histórias recontadas, inaugurada em fevereiro deste ano

Abril Indígena com programação gratuita: MUPA promove oficinas e visitas mediadas às exposições. Na foto, Mejtere. Foto: Divulgação



O dia 19 de abril celebra, em todo o território nacional, a diversidade dos povos indígenas do Brasil. Para marcar não apenas o dia, mas todo o mês, o Museu Paranaense preparou uma ampla programação: o Abril Indígena no Mupa será dedicado à valorização e promoção da cultura e da arte dos povos originários.


Entre as ações propostas, o público poderá participar de visitas mediadas com a equipe do Educativo na mostra "Mejtere: histórias recontadas", inaugurada em fevereiro deste ano no museu como resultado de um projeto de curadoria compartilhada da instituição com estudantes indígenas selecionados em edital público. A exposição reverbera uma pluralidade de vozes indígenas e carrega novas perspectivas sobre as coleções etnográficas do museu.


As visitas mediadas são gratuitas e para participar é necessário fazer inscrição prévia através da plataforma Sympla, neste link. As datas marcadas são: 01/04 (sábado) às 10h e 14h; 15/04 (sábado) às 10h e 14h; 16/04 (domingo) às 15h30 e 22/04 (sábado) às 15h30.


No sábado, 29 de abril, o Coletivo Kókir vem ao Mupa promover a oficina “Uma história dentro do cesto”. Serão duas sessões (ver serviço), ambas gratuitas, uma voltada para crianças de 8 a 13 anos, e outra para os professores interessados em arte indígena. A oficina apresentará diferentes produções relacionadas às práticas e vivências de indígenas Kanhgág, Guarani, Dessana, Terena e Tupinambá.


A proposta dessa ação é que os participantes criem objetos feitos com argila a partir da reflexão sobre as conexões entre nossos corpos e os quatro elementos: terra, água, fogo e ar. As oficinas buscam, por meio de rodas de conversa e da criação artística, oferecer a experiência de um mergulho na ancestralidade, no contato com elementos de diferentes grupos indígenas.


Coletivo Kókir

Formado pelos artistas Tadeu dos Santos Kaingang e Sheilla Souza, o Coletivo Kókir apresenta em suas criações questões relacionadas às culturas indígenas na contemporaneidade. Kókir significa “fome” na língua Kaingang.


Tadeu e Sheilla são também professores no curso de Artes Visuais na Universidade Estadual de Maringá, Paraná (UEM) e membros da Associação Indigenista (Assindi) Maringá. O diálogo entre arte, cidade e povos indígenas configura-se em diferentes meios, como instalações, pinturas, vídeos, performances e publicações, entre outros. Muitos dos trabalhos realizados pelo coletivo buscam a reflexão sobre a importância dos saberes indígenas em interações com grupos, comunidades e artistas indígenas e não indígenas.


Serviço:

Abril Indígena no MUPA (programação gratuita)

Visitas mediadas à exposição Mejtere: histórias recontadas

Datas: 01/04 (sábado), 15/04 (sábado), 16/04 (domingo) e 22/04 (sábado).

Necessário inscrição prévia.


Oficina “Uma história dentro do cesto”

Data: 29/04

Horário: das 9h às 12h

Oficina para crianças. 20 vagas

Inscrições AQUI.


Oficina “Uma história dentro do cesto”

Data: 29/04

Horário: das 14h30 às 17h30

Oficina para adultos (professores, estudantes e interessados em arte e cultura indígena)

20 vagas. Inscrições neste link.


Museu:

O Museu Paranaense fica na Rua Kellers, 289, São Francisco – Curitiba - Paraná.

Visitação: de terça a domingo, das 10h às 17h30.

Telefone: 41 3304-3300.


Por AEN

Comments


bottom of page