top of page
  • Foto do escritorRedação

MAC-PR abre nesta segunda espaço inédito e contínuo para artistas de performance

A proposta central do chamado "Encontro em Performance" é abrir espaço institucional para que artistas se encontrem no museu e façam suas práticas livremente

A primeira edição do Encontro de Performance do MAC Paraná acontece nesta segunda, 20, dia do equinócio de outono. Foto: Divulgação

O Museu de Arte Contemporânea do Paraná lança nesta segunda-feira (20) a primeira edição de um projeto de longa duração, focado no estudo e na prática de performance art. A proposta central do chamado "Encontro em Performance" é abrir espaço institucional para que artistas se encontrem no museu e façam suas práticas livremente, sem roteiros pré-estabelecidos e podendo ser acompanhados pelo público externo interessado nesse campo de expressão.


O 1º Encontro em Performance vai reunir cinco artistas e acontece nesta segunda (20), dia do equinócio de outono. A periodicidade deste e dos próximos encontros será sempre alinhada com os equinócios de outono e primavera e solstícios de inverno e verão, ou seja: acontecerão quatro vezes ao ano.


As datas também devem coincidir com os períodos de intervalo entre desmontagem e montagem das exposições do museu. Este 1º Encontro, por exemplo, será no último dia da exposição "Interferências", que ocupa a Sala Adalice Araújo – espaço administrado pelo MAC Paraná no hall da Secretaria estadual da Cultura.


Adriana Tabalipa, Eduardo Amato, Eleonora Gomes, Hell e Vinicius Davi ocuparão simultaneamente a Sala Adalice Araújo por duas horas, das 16h às 18h. "Farão uma performance sem um plano geral prévio, livres para seguir seus próprios impulsos e explorar novas formas de colaboração e conexão", afirma Eduardo Amato, idealizador do projeto e artista participante. "Nos encontraremos para uma experiência única em performance art, abraçando a singularidade e a diversidade de cada artista".


Após as 18h, o grupo se desloca da Sala Adalice para a Praça Santos Dummont, logo à frente da Secretaria da Cultura, e segue performando por mais uma hora. Qualquer pessoa que quiser se juntar ao grupo é bem-vinda, seja para assistir ou para performar também. Vale lembrar que o evento é gratuito e livre para todos os públicos.


Movimento Internacional

Inédito no Paraná, o 1º Encontro em Performance tem inspiração direta em um movimento internacional de artistas de performance, o Same but Difference: Equinox. Em 2017, durante o simpósio Being in Public: Encounters Outer Place/Inner Space, na Irlanda do Norte, um artista chamado Chumpon Apisuk propôs a instauração de ações públicas pela liberdade e democracia realizadas sempre nos equinócios de março e setembro.


Em setembro de 2017, 283 artistas de 45 cidades e 29 países performaram simultaneamente em espaços públicos. Desde então, os equinócios vêm se constituindo num movimento através de sessões abertas em espaços públicos, em difenrentes localidades, mantendo viva a ideia de um dia de ações públicas em performance.


No MAC Paraná, o Encontro surge da necessidade do museu em chancelar institucionalmente as iniciativas em performance da arte contemporânea paranaense, abraçando a proposta apresentada por Eduardo Amato, artista castrense focado em performance.


"A partir de agora, o MAC abre um importante espaço de apoio e incentivo contínuo para que artistas possam se reunir coletivamente e apresentar de forma pública suas pesquisas, produções ou reflexões, contando sempre com o nosso suporte institucional. Esperamos assim que a performance art se desenvolva cada vez mais profunda e intensamente no Paraná", afirma Carolina Loch, diretora do MAC-PR.


Conheça os artistas:

Adriana Tabalipa, artista visual com ênfase na performance art. Nascida em Curitiba em 1972 e radicada no Rio de Janeiro, atualmente vive e trabalha nessas duas cidades se dedicando à pintura, ao desenho e a performance art como foco de ação da sua produção artística impregnada de questões filosóficas e potência poética sempre na busca da sensibilização do outro através do território experimental da arte.


Eduardo Amato, artista da performance art. de Castro, mora e trabalha em Curitiba. Dirige o PF espaço de Performance Art Etc e é mestrando em Artes pela Unespar.


Eleonora Gomes, artista da pintura e da performance art. Mora e trabalha em Curitiba. É residente do espaço PF espaço de Perfomance Art Etc há sete anos.


Hell escreve poesia, trabalha como luthier (profissional especializado em construir instrumentos de corda), é transformista dissidente, artista das artes visuais e da performance.


Vinicius Davi, artista-pesquisador, performer, historiador da arte, e curador. De Curitiba, atualmente vive em Berlim, na Alemanha. Pesquisa performatividade, estudos curatoriais e ações estético-políticas.


Serviço:

1º Encontro em Performance MAC PARANÁ + Equinócio de Outono

Data: segunda-feira, 20 de março


16h – 18h

Sala Adalice Araújo (Rua Ébano Pereira, 240, Centro – Curitiba)

Performance em grupo com Adriana Tabalipa, Colombina, Eduardo Amato, Eleonora Gomes, Hell e Vinicius Davi


18h – 19h

Praça Santos Dumont (em frente à Sala Adalice Araújo) - “Igual mas Diferente: Equinócio” - Performance aberta


Por AEN

Comments


bottom of page