• Redação

Livro “Vindas” é lançado nesta sexta-feira na Estação Saudade

Obra mostra saga e contribuição dos imigrantes na formação do Paraná

Vindas – Memórias da Imigração é um projeto aprovado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura. Foto: Divulgação

Acontece a partir das 19h, desta sexta-feira, na sala de leitura do SESC Estação Saudade o lançamento do livro Vindas - Memórias da Imigração, da Editora ABC Projetos Culturais. A obra, produzida pelos jornalistas Alessandra Bucholdz, Diego Antonelli e Jefferson Dittrich conta a saga de imigrantes de seis etnias que vieram ao Paraná em diferentes ciclos migratórios.


A primeira edição do livro foi lançada em 2018 pela ABC Projetos. “Nessa edição traçamos biografias de outros imigrantes, que retratam de forma bem humanizada como se deu a formação e colonização do Paraná a partir da trajetória de diversas famílias e povos que impelidos a deixar seus países por motivos de diversas ordens, escolheram o Brasil e o Paraná como pátria”, explica a editora da ABC Projetos e coordenadora editorial da obra, Alessandra Bucholdz.


A obra apresenta ao público as histórias de imigração de Zofia Brzegow (imigrante polonesa), Haidar Omar (imigrante libanês), Saturnino Hernando (imigrante espanhol), Alice Hoffmann (ascendente alemã), Edison Moro Rios (ascendente italiano) e Pedro Choma Neto (ascendente ucraniano).


Vindas – Memórias da Imigração é um projeto aprovado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, vinculada ao Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura, e realizado com o apoio da Copel e Caminhos do Paraná.


Para o jornalista Diego Antonelli as histórias de imigração retratadas são peças fundamentais para entendermos os impactos das guerras, perseguições políticas e econômicas que até hoje não cessaram.


O jornalista Jefferson Dittrich conta que através das entrevistas foi possível também perceber a busca de diversos descendentes por entender o caminho, as angústias e os desafios percorridos pelos familiares até se instalarem no Paraná.


Além dos depoimentos, a obra traz mapas traçando os movimentos migratórios de cada entrevistado, álbuns de família, e QR Codes dando acesso a uma versão em audiolivro. Os textos ainda têm tradução para a língua mãe de cada imigrante.


Paralelamente ao lançamento do livro acontecerá uma exposição com retratos dos imigrantes produzidos pelo artista plástico ponta-grossense Élio Chaves a partir da técnica de carvão vegetal em papel canson. A participação no evento é aberta ao público. O livro pode ser adquiro pelo valor de R$ 50.


Da Assessoria