top of page
  • Foto do escritorRedação

Festival de Matemática da UEPG recebe comunidade e promove atividades

O 2º Festival de Matemática da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) recebeu, no sábado (18), cerca de 300 visitantes na Central de Salas do campus Uvaranas

Festival de Matemática da UEPG recebe comunidade e promove atividades. Foto: William Clarindo

O 2º Festival de Matemática da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) recebeu, no sábado (18), cerca de 300 visitantes na Central de Salas do campus Uvaranas. O evento, organizado pelo Departamento de Matemática e Estatística da UEPG e pela Olímpiada Pontagrossense de Matemática (OPMat), tem como objetivo divulgar a matemática por meio de atividades lúdicas e visuais.


“Muitas pessoas acham que matemática é muito difícil, que é para poucos. O objetivo desse Festival é mostrar que não é um bicho de sete cabeças, como as pessoas pensam. Todos podem aprender e a matemática está no nosso dia a dia”, explica a professora Elisangela dos Santos Meza, coordenadora do evento. O Festival reuniu cerca de 60 acadêmicos e professores dos cursos de Licenciatura em Matemática e Bacharelado em Matemática Aplicada.


Em cada sala, era ofertada uma atividade baseada em um diferente conceito da área: montar origamis, xadrez, Twister, cubos mágicos, entre outros. Em uma das salas, os visitantes podiam explorar o “Ambiente das Frações”. Com as luzes apagadas, os acadêmicos desafiavam os convidados a solucionar operações matemáticas com frações apostando no tato e no raciocínio. “Fizemos um trabalho sobre a régua de frações, então já tínhamos uma base muito boa de fração”, pensa a acadêmica Fabiane Peremibida Iarochevski. “Aí foram surgindo as ideias: fazer uma dinâmica que chame atenção e que leve os visitantes a ficar mais tempo na sala e aprender mais coisas”, detalha Fabiane, do segundo ano da Licenciatura em Matemática, uma das responsáveis pela sala.


O vice-reitor da UEPG Ivo Mottin Demiate esteve presente no evento e parabenizou os acadêmicos e professores pela atividade. “É um trabalho muito bonito, trazendo alunos das escolas da região da cidade para apresentar várias coisas importantes, interessantes e curiosas relacionadas ao ensino e à ciência da matemática”, considera. “Isso aproxima a comunidade de um curso tão importante e, além de divulgar a importância da área, também estimula os jovens na idade escolar a se interessar pelos vestibulares, não só na Matemática, mas em áreas que envolvam esses conhecimentos”, adiciona. “São nossos projetos de extensão mostrando a Universidade para a sociedade e a UEPG mostrando sua competência”, completa Demiate.


A professora da rede estadual Mara Eliza dos Santos soube do Festival pela escola em que trabalha e onde a filha, de 11 anos, estuda. No Festival, a filha de Mara fez amizades e participou de todas as atividades possíveis. Para a mãe, o evento foi a chance de apresentar uma atividade pedagógica interativa sem telas. “É importante motivar ela para ver a matemática de uma forma diferente e perceber que está no nosso dia a dia em jogos, brincadeiras e não tão difícil como pode ser colocada na escola”, pensa.


Da Assessoria


Comments


bottom of page