top of page
  • Foto do escritorRedação

Evento encerra capacitação para o combate à violência doméstica

Cerca de 300 profissionais ampliarão rede de proteção à mulher na cidade

Evento encerra capacitação para o combate à violência doméstica. Foto: Divulgação


Nesta sexta-feira, no Auditório da Reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal da Família e do Desenvolvimento Social, através da Casa da Mulher, realizou o encerramento da capacitação para servidores municipais da Fundação Municipal de Saúde, com o intuito de ampliar a Rede de Proteção de combate à violência contra a mulher. A partir da próxima semana, o projeto ‘Agentes pelas Mulheres’ estará em funcionamento nas ruas e nas residências de Ponta Grossa.


A prefeita Elizabeth Schmidt destacou que os agentes comunitários já representam a Prefeitura e a própria prefeita enquanto gestora, dentro das casas das pessoas em todas as casas que visitam. “A partir de agora, além de levaram orientações e cuidados em relação a Saúde, terão a oportunidade de levar proteção e acolhimento para mulheres que possam estar sendo vítimas de violência doméstica. Trabalhamos incessantemente por uma cidade mais humana e também por uma cidade que respeite as mulheres, de forma que o trabalho dos cerca de 300 agentes ajudará a tornar esta meta possível”, ressaltou a prefeita.


O reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto, enfatizou o apoio para a iniciativa e destacou que a Universidade tem como objetivo realizar ações e serviços comunidade, ultrapassando os muros da instituição. “Todas as vezes que somos convocados nunca dizemos não. Nosso compromisso é formar alunos e transformar a sociedade. Combater a violência contra as mulheres faz parte disso”, salientou.


A secretária da Família e do Desenvolvimento Social, Tatyana Denise Belo, avalia que o projeto é o resultado de uma união de forças por um propósito em comum. Ela aponta que será muito maior a possibilidade de pedido de ajuda através da ampliação da rede de proteção com os agentes comunitários de saúde. “Além disso, dos serviços prestados para as mulheres diretamente em suas residências, os servidores capacitados serão multiplicadores para sua comunidade, para a família, para amigos, entre outras pessoas, levando orientações para que as mulheres tenham condições de entender se é vítima dos diversos tipos de violência, oferecendo saídas para rompimento deste ciclo”, comenta.


Juliane Dorosxi, presidente da Fundação Municipal de Saúde, comenta que a violência é um mal que precisa ser combatido. Em virtude disso, é muito importante que os profissionais da Saúde atuem neste aspecto combatendo a banalização da violência contra a mulher, que aumenta o silêncio das vítimas. “Precisamos fortalecer as mulheres para que se libertem do ciclo de violência. Temos a certeza que este trabalho também salvará muitas vidas”, disse Juliane que parabenizou presentes pelo Dia Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde comemorado nesta semana, no dia 4 de outubro.


Camila Calisto Sanches, coordenadora da Casa da Mulher, comenta que se não fosse o fato de ser uma prefeita mulher, hoje, Ponta Grossa não teria a Casa da Mulher e nem uma iniciativa deste porte. Segundo ela, a partir da próxima semana, as agentes comunitárias estarão nas residências, por isso foi tão importante a capacitação. “Ampliar a rede de proteção com os agentes comunitários de saúde e o agente de endemias é apenas um projeto piloto. A intenção é levar a formação para outros órgãos públicos municipais”, disse.


O material de divulgação contou com o apoio da ACIPG Mulher no patrocínio para a impressão de folders explicativos e botons para os agentes comunitários de saúde. “Ficamos muito felizes de contribuirmos com este projeto. Procurávamos uma iniciativa que tivesse a nossa cara, de mulheres empreendedoras, e agora encontramos. Contem com a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa e com a ACIPG Mulher, pois vamos nos mobilizar para auxiliar esta iniciativa em todos os sentidos”, disse Camila Kluppel, presidente da ACIPG Mulher.


O programa ‘Agentes pelas Mulheres’ é desenvolvido por meio do trabalho conjunto entre a Secretaria Municipal de Família e Desenvolvimento Social, Fundação Municipal de Saúde, a Fundação Municipal de Assistência Social e a Secretária Municipal de Cultura.

Rede de Proteção

Fazem parte da Rede de Atendimento a Casa da Mulher, a Patrulha Maria da Penha, Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS), Casas Abrigos (Corina Portugal e Abrigo das Famílias), Delegacia Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAM), Hospital Universitário (HU e HUMAI), Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (CEJUSC), Núcleo Maria da Penha (NUMAPE) e Núcleos de Prática Jurídica.


A Casa da Mulher atende das 9 às 17 horas e está localizada na Rua Theodoro Rosas, nº 1651, no Centro, ou também pelo telefone (42) 3220-1043.


Da Assessoria

Comments


bottom of page