• Redação

Estudante de PG conquista o terceiro lugar em Olimpíada

Aluna competiu com estudantes de todo o Brasil e garantiu a medalha de Bronze

A aluna está no sétimo ano do Marista Escola Social Santa Mônica, que atende gratuitamente crianças e adolescentes. Foto: Divulgação

Tem lugar no pódio garantido para a cidade de Ponta Grossa. A estudante Valquiria Fernanda Barbosa, de apenas 12 anos, recebeu a medalha de bronze da Olimpíada Nacional de Ciências. A aluna está no sétimo ano do Marista Escola Social Santa Mônica, que atende gratuitamente crianças e adolescentes. Ela competiu com estudantes de todo o país realizando provas online sobre conhecimentos de ciências que adquiriu durante a jornada escolar.


Para a coordenadora pedagógica da Escola Social, Naara Mellem, a participação dos estudantes é um momento importante para desenvolver a autoestima e autonomia. “Todo esse olhar para projetos de iniciação científica começam a acontecer aqui na escola, e trabalhamos esse despertar. O envolvimento de todos os nossos cinco alunos nas Olímpiadas mostrou que apesar de todas as adversidades do último ano com a pandemia, eles estão engajados em buscar esse conhecimento para o futuro”, revela.


Oportunidade de refletir e aprender

Para a estudante do 7º ano, as Olimpíadas de Ciências vieram para auxiliar e mostrar que é possível. “No início confesso que não acreditei muito na minha participação, mas ciências é minha matéria favorita, porque pra mim envolve um pouco de cada coisa, e a gente pode conhecer e explorar de formas diferentes. Então pensei que podia ser bom participar, foi uma alegria quando descobri a minha colocação”, revela Valquiria.


A participação e a colocação da aluna é vista como um incentivo à prática das atividades científicas na escola. “Acompanhamos todo o processo, para que eles descubram e explorem as oportunidades, essas provas dão autonomia e autoestima para que eles se sintam cada vez mais empoderados na aprendizagem e na vida”, finaliza Naara.


A Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) integra o Programa Ciência na Escola e é uma realização de cinco Sociedades Científicas: a SBF (Sociedade Brasileira de Física) a ABQ (Associação Brasileira de Química) o Instituto Butantan a Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Ela resulta de um convite do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) às sociedades e se destina a estudantes do Ensino Médio e do 6ª a 9º ano do Ensino Fundamental.


Marista Escolas Sociais

Marista Escolas Sociais atende gratuitamente 7700 crianças, adolescentes e jovens por meio de 20 Escolas Sociais, localizadas em cidades de Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Os alunos atendidos nas Escolas Sociais têm acesso a uma educação de qualidade e gratuita que vai desde a educação infantil até o ensino médio, além de projetos educacionais e pedagógicos que acontecem no período de contraturno escolar.


Da Assessoria