• Redação

Chuvas fecham o Parque do Guartelá para visitação pública

Instituto Água e Terra (IAT) analisa a melhor maneira de reparar os danos o mais rápido possível

O parque recebe, em média, cerca de mil visitantes por semana, tendo como grande atração a beleza natural do 6º maior cânion do planeta em extensão, o “Cânion do Rio Iapó”. Foto: AEN


O Parque Estadual do Guartelá, localizado no município de Tibagi, nos Campos Gerais, está fechado para visitação devido às fortes chuvas com raios que ocorreram na região nos últimos dias. O Instituto Água e Terra (IAT) analisa a melhor maneira de reparar os danos o mais rápido possível.

O prejuízo é mais forte no abastecimento de água, cujos raios provocaram a queima das bombas que abastecem o local, interditando o uso da infraestrutura, como sanitários e bebedouros.


O parque recebe, em média, cerca de mil visitantes por semana, tendo como grande atração a beleza natural do 6º maior cânion do planeta em extensão, o “Cânion do Rio Iapó”. Sua beleza é enriquecida com a Cachoeira da Ponte de Pedra, derivada da força das águas do Córrego Pedregulho.


A ação da água e do vento durante milhares de anos esculpiu estruturas como lapas, fendas, grotas e formas curiosas sobre as rochas areníticas, expondo feições ruiniformes em pequena escala e uma enorme fenda entre paredões rochosos.


Pinturas Rupestres

No parque, há ainda pinturas rupestres que datam aproximadamente 7 mil anos e que foram deixadas em rochas e lapas por indígenas, primeiros habitantes da região. Outra importante característica do local é a vegetação composta por campos, remanescentes de Cerrado, Florestas com Araucária, elementos da Floresta Estacional Semidecidual e Floresta Ombrófila Densa (Mata Atlântica).


Por AEN