• Redação

30º EAIC inicia com palestras e lançamento de livro

Encontro Anual de Iniciação Científica iniciou noite desta terça-feira (07) com transmissão para o público no Facebook da UEPG

30º EAIC inicia com palestras e lançamento de livro. Foto: Aline Jasper

Na noite desta terça-feira (07), o Encontro Anual de Iniciação Científica da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Eaic-UEPG) começou sua edição comemorativa de 30 anos. Durante a noite, foram transmitidas para o público no Facebook da UEPG a cerimônia de abertura, as palestras e o lançamento do livro “Rede colaborativa de pesquisa sobre biossegurança em Odontologia: múltiplos olhares frente aos novos desafios”.


O reitor da UEPG, professor Miguel Sanches Neto, destacou a importância dos 30 anos do Eaic, 50 anos da UEPG (2019), 50 anos da extensão universitária (2021) e 50 anos do Festival Nacional de Teatro (2022). “São datas muito significativas, porque representam a interiorização, no estado do Paraná e no Brasil, do Ensino Superior, da pesquisa e da pós-graduação”. Com a criação do Eaic, em 1991, a Universidade Estadual de Ponta Grossa deixava, segundo o reitor, de se voltar somente ao ensino e à extensão, para se tornar também uma Universidade de pesquisa, “uma Universidade que estava ultrapassando seus limites e buscando a constituição de um novo perfil”.


“A iniciação científica é a interface entre a graduação e a pós-graduação”, afirma Sanches. Nesse processo, tem importante papel o Encontro, que finaliza o ano de iniciação científica. “O Eaic tem esse poder de transformar as pessoas que cursam uma graduação em fatores de desenvolvimento cultural, científico e econômico”.


Para o professor Giovani Marino Favero, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UEPG, o Eaic é o evento mais importante realizado pela Propesp, envolvendo a graduação, pós-graduação, orientadores, comitê interno e externo. Para os estudantes, é o momento de encerrar um ciclo de um ano de pesquisa. “Acredito que durante o tempo de apresentação dos trabalhos, vai passar na cabeça dos nossos acadêmicos e acadêmicas todo o trabalho realizado durante esse ano e como foi importante esse ano de pesquisa e o aprendizado”, aponta. “O diferencial na formação de um graduando, uma graduanda é sim a iniciação científica, a extensão, e o envolvimento amplo com a Universidade”.


Além de agradecer aos colaboradores que tornaram possível a 30ª edição do Eaic, o professor Paulo Vitor Farago, diretor de pesquisa da UEPG e coordenador geral do 30º Eaic e 7º Eaic-Jr, destacou a importância da ciência para o desenvolvimento. “O Eaic é o momento de exposição, de diálogo, de compartilhamento de ideias, conhecimentos e experiências adquiridas durante um ano inteiro, em que o aluno de iniciação científica teve o privilégio de vivenciar o meio científico”, enfatizou. “É oportunidade também para refletirmos sobre a importância da ciência e das pesquisas desenvolvidas em nossa Universidade”. O professor comentou ainda o crescimento da pesquisa na UEPG nesses 30 anos de iniciação científica, multiplicando o número de participantes: de 26 bolsas de iniciação científica em 1991 para 492 bolsas no ano vigente.


A edição dos 30 anos do Eaic conta com a apresentação de 500 trabalhos, resultantes de projetos dos Programas de Iniciação Científica (Pibic), Iniciação Científica Voluntária (Provic) e Iniciação Científica Júnior (Pibic-Jr). A programação está disponível no site do evento, bem como os links para acesso das salas virtuais.


Depois da cerimônia de abertura, o público pôde assistir a duas palestras sobre os desafios da pesquisa em tempos pandêmicos: o professor Emanuel Maltempi de Souza, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), abordou o processo de criação da vacina contra a Covid-19 na Universidade paranaense, a partir do conhecimento prévio desenvolvido nas pesquisas sobre fixação biológica de nitrogênio. Em seguida, o professor Fabrício Palermo Pupo, da UFPR e Unibrasil, falou sobre os desafios da divulgação científica em tempos pandêmicos.


O 30º Eaic segue com as apresentações de trabalhos, de maneira remota pelo Google Meet, até quinta (09), quando acontece o encerramento, às 17h, transmitido pelo Facebook. A solenidade de premiação acontece na segunda (13), às 16h, no YouTube da UEPG.


Livro

Para fechar a noite, a professora Márcia Helena Baldani apresentou o livro “Rede colaborativa de pesquisa sobre biossegurança em Odontologia: múltiplos olhares frente aos novos desafios”. A obra é organizada pelos professores Rafael Gomes Ditterich (UFPR), Márcia Helena Baldani (UEPG) e Cristine Maria Warmling (UFRGS) e aborda o esforço de pesquisadores em produzir pesquisa durante a pandemia, para apresentar respostas aos problemas enfrentados na retomada segura da clínica odontológica.


“Nossa rede se constituiu em meio ao isolamento social”, relembra a professora. “Em plena pandemia, conseguimos viabilizar um projeto de pesquisa multicêntrico”. A Rede Colaborativa de Pesquisa em Saúde Bucal Coletiva da Região Sul (Rede SBCSul) foi formada durante a pandemia, com a parceria entre professores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no Brasil, e da Universidade de Córdoba (UnC), na Argentina.


Da Assessoria